Lacen anuncia suspensão exames para diagnosticar sífilis e Secretaria de Saúde nega haver problema?

122
Print Friendly, PDF & Email

Nos últimos 30 dias laboratório estava utilizando reagente com prazo de validade “inadequado”. 

Por Kleber Karpov

Na terça-feira (11/Jul), o Núcleo de Bacteriologia do Laboratório Central do DF emitiu o Memorando 039/2017 em que informou que deve suspender, por falta de reagente, a realização do teste não treponêmico VDRL [Venereal Disease Research Laboratory] utilizado no exame laboratorial para sífilis. O caso foi denunciado ao Política Distrital (PD) nesta segunda-feira (17/Jul), por fonte que pede sigilo da identidade.

De acordo, a interrupção por parte da Secretaria de Estado de Saúde do DF (SES-DF) do reagente, obrigará o LACEN-DF a suspender a realização de tais exames. Ainda de acordo com o laboratório, a unidade está, desde 2016, desabastecida, também, do teste treponêmico confirmatório TPHA  [(Treponema Pallidum Hemagglutination ].

O LACEN, alertou ainda que ao longo “dos últimos 30 dias estávamos utilizando os últimos reagentes restantes, com prazo de validade inadequado, por meio do uso paralelo de controles internos que garantiam a qualidade dos testes realizados”.

Publicidade

Aumento de casos

Dados do Sistema de Informação de Agravos de Notificação (SINAN), apontam o crescimento gradativo do número de casos de sífilis registrados no DF, desde 2010. Naquele ano, 416 casos foram registrados e, até o ano de 2015, a média de crescimento de casos foi de 16,62%.

Porém, chama atenção o salto entre os anos de 2014 para 2015. Os números passaram de 768 para 1.132 casos respectivamente, com crescimento de 47,40% em relação ao ano anterior.

Em 2016 foram registrados 1.288 casos e, apenas nos primeiros seis meses de 2017 o DF acumula um total de 731 casos registrados pelo Sinan.

Estranhamente

PD entrou em contato com a SES-DF para questionar a falta de reagente e chamou atenção o parecer da Secretaria emitido por parte da Assessoria de Comunicação, ao apontar normalidade na realização de teste e, a negativa da falta de reagentes.”.

“A Secretaria de Saúde informa que testes para diagnóstico de sífilis continuam a ser realizados no Lacen e não há falta de reagentes.”.

A pergunta que não quer calar é: Será?

Opinião

Enquanto a gestão do Lacen tenta de forma ‘educada’ relatar a utilização de reagente vencido, o parecer da SES-DF, deve ser considerado pela população do DF e por parte do Ministério Público do DF ( MPDFT) como omissão por parte do secretário de Estado de Saúde do DF, o médico de família, Humberto Lucena Pereira da Fonseca que, no mínimo, deveria pedir explicações ao gestor da pasta para o problema apontado pelo Laboratório, que ocorre, desde 2016.

0

Comentário