Exclusivo: Em desespero, médico cobra monitor cardíaco na UPA Ceilândia

Print Friendly, PDF & Email

Secretaria de Saúde afirma que abastecerá unidade, ainda hoje, com dois novos monitores

Por Kleber Karpov

Com a estrutura caótica e sem condições mínimas de exercerem as atividades profissionais, médicos e demais profissionais da Secretaria de Estado de Saúde do DF (SES-DF), chegam a situações extremas para tentar salvar vidas. Nessa sexta-feira (16), Política Distrital recebeu um áudio servidores da SES-DF, onde um médico, lotado na sala vermelha, da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Ceilândia se exaltou por falta de monitor cardíaco na unidade.

No áudio o profissional inicia um relato que em poucos segundos se transforma em um desabafo sobre a falta do equipamento para monitorar o paciente da ala de casos graves da UPA.

“Olha é o seguinte, o paciente sem monitor aqui na UPA, parando aqui. Sem monitor não dá para trabalhar. Eu não fico nessa merda, se essa porra não tiver monitor. Caralho”, anunciou.

Confira o Áudio:

Sob tensão

Em setembro de 2015 um médico chegou a receber voz de prisão por gritar com um Bombeiro Militar, no Hospital de Base do DF (HBDF). Isso após uma crise desencadeada por total falta de estrutura na unidade.

“Cara, eu tô trabalhando, eu tô estressado aqui. Tá faltando tudo”, gritou para o Bombeiro que tentou acalmá-lo. “Eu sei, calma, calma”, quando o médico concluiu: “Tá faltando tudo, eu quero sumir daqui”, desabafou o servidor.

O que diz a SES

Procurada para esclarecer o caso, por meio da Assessoria de Comunicação (ASCOM), não negou o caso e informou que a UPA Ceilândia tem dois monitores na ala vermelha. Porém, a Secretaria não informou, quantos pacientes estão internados e utilizando os aparelhos. Segundo a SES-DF, a UPA deve receber duas novas unidades.

“A Superintendência da Região de Saúde Oeste informa que a UPA Ceilândia possui dois monitores na Sala Vermelha, em pleno funcionamento e aguarda o recebimento, ainda hoje, de outros dois aparelhos.”.

1