Hugol: Ministério Público vai investigar supersalários de Organizações Sociais em Goiás

Print Friendly, PDF & Email

O Ministério Público de Goiás (MP-GO), por meio da promotora de Justiça Fabiana Lemes Zamalloa, instaurou inquérito civil público para apurar notícia de que os salários de alguns diretores do Hospital de Urgências Governador Otávio Lage (Hugol) e de alguns médicos contratados ultrapassariam os limites legais, superando, em algumas situações, a casa dos R$ 60 mil.

Para verificação dos fatos, Fabiana Zamalloa requisitou à organização social Associação Goiana de Integralização e Reabilitação (Agir), responsável pela gestão do Hugol, a relação de todos os servidores estatutários e empregados contratados pela OS que prestam serviço naquele hospital, com indicação do tipo de vínculo, acompanhada de cópia dos contratos e comprovantes de remuneração, desde a admissão até a data da resposta à solicitação.

Ela requereu também contratos específicos de três profissionais que estariam recebendo muito acima do piso. À Secretaria Estadual de Saúde foram pedidas informações circunstanciadas sobre o assunto, bem como as providências adotadas para a efetiva fiscalização e cumprimento da legislação. Há muitos meses o deputado estadual Adib Elias (PMDB) já vinha denunciando os supersalários de diretores da Agir na gestão do Hugol.

Fonte: Goiás Real

0