Servidores do GDF devem receber salários sem atrasos em Janeiro

14
Print Friendly, PDF & Email

Depois de um natal e de um fim de ano comprometido por causa do rombo dos cofres públicos que colocou o DF em uma crise financeira sem precedentes, por má gestão do governador Petista, Agnelo Queiroz, servidores públicos do DF talvez voltem à normalidade em Janeiro. No que depender da equipe econômica do governo Rollemberg, a expectativa é que consigam garantir que salários sejam pagos sem atrasos.

Um dos temores dos servidores públicos do Distrito Federal, além de correrem o risco de não receberem ainda este ano as pendências salariais a exemplo do 13º salário, férias e horas-extras, é que o próximo governador do Distrito Federal, Rodrigo Rollembeg (PSB), que assumirá dia primeiro de Janeiro, não tenha recursos para honrar com os salários dos servidores do GDF.

Na tarde da última terça-feira (23/Dez), durante entrevista coletiva, o futuro chefe da Casa Civil, Hélio Doyle, deu uma dose de esperança aos servidores públicos.

Questionado sobre a possibilidade de haver atrasos nos salários, Doyle afirmou que a crise financeira do DF é delicada, mas que estão trabalhando para que não haja atrasos de salários. Segundo Dolye: “Espero que não. A equipe econômica do futuro governo está trabalhando no sentido de que isso não aconteça. Seria muito ruim já se atrasar salário logo no início.”, afirma ao enfatizar a gravidade da falta de recursos por parte do GDF: “Agora a situação não é nada boa. A carência de recursos é muito grande, a situação financeira é grave, mas a prioridade será o pagamento de salários.”, complementa Doyle.

Com relação as pendências salariais do mês de Dezembro, a ser paga pelo governador, Agnelo Queiroz (PT), após sucessivas promessas descumpridas de pagamentos dos remanescentes dos proventos dos servidores, além dos salários dos professores de creches, dos trabalhadores em cargos comissionados assim como dos prestadores de serviços e fornecedores do GDF, a expectativa é que Agnelo cumpra a promessa de arcar com tais despesas até o dia 31 de Dezembro.

2
Publicidade

Comentário