Brasileiros repatriados passam por segunda bateria de exames

Resultado dos exames ficarão prontos em 48 horas. Até o momento, 3 casos suspeitos do novo coronavírus são monitorados em São Paulo e Rio Grande do Sul. Outros 45 já foram descartados

130


Print Friendly, PDF & Email

Os 34 brasileiros e familiares repatriados de Wuhan, na China, além da equipe técnica que os acompanhou, passaram pela segunda coleta de amostras respiratórias (secreção nasal e saliva) para realização de exames para identificação do novo coronavírus. As amostras foram coletadas, nesta segunda-feira (17), pela equipe de saúde do Laboratório Central de Saúde Pública (LACEN) de Goiás. O resultado deve ficar pronto em 48 horas.

De acordo com o secretário-executivo do Ministério da Saúde, João Gabbardo, o resultado deste novo exame deve ficar pronto até a próxima quarta-feira (19). “Após o resultado deste exame será feita uma análise, em conjunto com o Ministério da Defesa, para chegarmos a uma solução para a tripulação e os demais profissionais que seguem em quarentena”, comentou.

Neste momento, três casos suspeitos do novo coronavírus são monitorados pelo Ministério da Saúde, conforme informações repassadas pelas Secretarias Estaduais de Saúde de todo o país. Os dados são do último balanço divulgado pela pasta nesta segunda-feira (17). Os casos suspeitos estão concentrados nas regiões Sudeste e Sul, com duas investigações em São Paulo e uma no Rio Grande do Sul. Até agora, 45 casos já foram descartados em todo o Brasil, que permanece sem registro da doença.

Todas as notificações de casos suspeitos no país foram recebidas, avaliadas e discutidas com especialistas do Ministério da Saúde, caso a caso, junto com as autoridades de saúde dos estados e municípios. Esses descartes aconteceram principalmente por causa do resultado positivo para outros vírus respiratórios.

Para manter a população informada a respeito do novo coronavírus, o Ministério da Saúde atualiza diariamente, os dados na Plataforma IVIS, com números de casos descartados e suspeitos, além das definições desses casos e eventuais mudanças que ocorrerem em relação a situação epidemiológica.

Publicidade

Fonte: Ministério da Saúde