Deputada relata peregrinação em busca de atendimento hospitalar

102


Print Friendly, PDF & Email

A deputada Júlia Lucy (Novo) subiu à tribuna da Câmara Legislativa, nesta terça-feira (20), para relatar a sua busca por atendimento na rede pública de saúde, sem obter sucesso. Ela contou que, vítima de infecção renal, procurou, inicialmente, o Hospital de Base, que agora funciona nos moldes de Instituto de Gestão Estratégica de Saúde, mas o atendimento foi negado. “Fui direcionada ao Hospital da Asa Norte e recebi uma pulseira amarela”, disse, referindo-se à identificação dos pacientes, de acordo com o nível de gravidade.

“Após duas horas, nenhum atendimento. Um vigilante do HRAN que passava informações, não sabia quando chegaria um médico. Nesse ínterim, precisei usar o banheiro e quando retornei não havia mais cadeira para sentar”, relatou. Sentindo piora do quadro de saúde, a deputado optou pelo serviço privado, tendo permanecido internada por uma semana. “Durante a minha campanha assumi o compromisso de fiscalizar e usar os serviços públicos para buscar sentir o mesmo que o cidadão sente. Porém, diante do quadro de infecção grave nos dois rins, não tive opção. Mas, e quem não pode fazer o que eu fiz”, indagou, enumerando casos recentes de óbitos em hospitais públicos, “porque as vítimas não tiveram a devida atenção”.

“É desesperador sentir que não haverá ajuda”, declarou, resumindo a experiência. A parlamentar observou que está fazendo um levantamento que já mostra que “mortes evitáveis só aumentam” no serviço público de saúde do Distrito Federal. Ela disse que recebeu justificativas de autoridades, mas informou que está tomando providências para que esclarecimentos sejam prestados à população.

Policiais militares

Também durante a sessão ordinária, os deputados Roosevelt Vilela (PSB) e Reginaldo Veras (PDT) trataram das promoções dos policiais militares do DF. Os parlamentares solicitaram do GDF a redução do interstício – tempo necessário – para que as promoções ocorram. Ambos lembraram que os recursos são previstos no Fundo Constitucional do DF, que cobre os gastos do setor de segurança pública da Capital. “A omissão do governo leva ao desestímulo e à insatisfação”, acrescentou Veras.

Publicidade

Pesquisa

O deputado Eduardo Pedrosa (PTC) discordou da aplicação de R$ 440 mil do Fundo de Apoio à Pesquisa do DF para a Semana Nacional de Ciência e Tecnologia, evento promovido pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Cientifico e Tecnológico (CNPq). “Os recursos do FAP-DF devem ser investidos para fomentar a inovação e o empreendedorismo no Distrito Federal”, argumentou.

SAMU

Já o deputado Jorge Vianna (Podemos) solidarizou-se com a equipe do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) que, nesta segunda-feira (19), envolveu-se em um acidente de trânsito. Ele chamou a atenção para a necessidade de os motoristas darem passagem aos veículos que estão nas vias com as sirenes ligadas.

Fonte: CLDF