Por falta de reagente, hospital infantil do DF suspende exames de sangue

55
Print Friendly, PDF & Email

Memorando autoriza apenas testes emergenciais a partir do próximo dia 25. Pasta diz que documento tem ‘cunho interno’ e que estoque será reposto.

Por Mateus Rodrigues

Exames de sangue convencionais podem ser suspensos a partir da próxima quarta-feira (25) no Hospital Materno Infantil de Brasília (Hmib) e em nove centros de saúde da Asa Sul, Candangolândia e Riacho Fundo I e II. O motivo é a falta de reagentes para a testagem das amostras.

A informação consta em um memorando assinado pelo chefe do Núcleo de Patologia Clínica do Hmib, Paulo Oliveira Martins Junior, e foi confirmada ao G1 pela Secretaria de Saúde. Segundo o comunicado, emitido na última quinta (19), apenas os hemogramas de emergência e de pacientes internados poderão ser mantidos até a reposição dos estoques.

A secretaria afirmou em nota que o documento tem “cunho interno, orientando os servidores a fazerem um contingenciamento de materiais de forma prudencial” e que os exames emergenciais serão realizados normalmente. Os insumos estão sendo comprados e serão repostos nos estoques de toda a rede “nos próximos dias”, segundo a pasta.

O Hmib abriga o maior centro pediátrico do DF, com 60 leitos de internação e 20 de emergência infantil. Por mês, a unidade atende cerca de 5 mil crianças no pronto-socorro e realiza 400 partos.

Taguatinga
No dia 11, circular publicada pela Secretaria de Saúde restringiu por 50 dias todos os exames laboratoriais em centros de saúde de Taguatinga. O texto assinado pelo coordenador regional de Saúde, Benvindo Rocha Braga, diz que a medida visa “reduzir despesas” e evitar o desabastecimento de insumos no estoque.

A pasta confirmou as restrições de atendimento, mas disse que pacientes internados em UTI e com necessidades emergenciais também serão excluídos da mudança. Não há prazo informado para a recomposição total dos estoques de insumos.

A circular também orienta os centros de saúde a não enviarem pacientes para o Hospital Regional de Taguatinga pelo mesmo período, porque eles não serão atendidos no local.

Fonte: G1 DF