15.5 C
Brasília
24 maio 2024 10:23


Sindate-DF aponta para reestruturação de carreira após assembleia dos técnicos em enfermagem

Representantes da categoria foram recebidos por Wellington Luiz, presidente da CLDF, que se comprometeu em atuar em prol das demandas dos profissionais de saúde

Por Kleber Karpov

O Sindicato dos Auxiliares e Técnicos em Enfermagem do DF (Sindate-DF), realizou assembleia geral, na manhã desta nesta terça-feira (30/Abr), em frente a Câmara Legislativa do DF (CLDF), para deliberar sobre as pautas da categoria. Dentre as principais está a reestruturação da reestruturação da carreira dos profissionais de saúde lotados na Secretaria de Estado de Saúde do DF (SES-DF).

Durante a assembleia, diretores do Sindate-DF, relembraram as lutas da categoria, e perdas acumuladas ao longo do caminho, em especial, a falta de isonomia com outras carreiras da saúde, tanto em relação a reajustes salariais quanto na progressão de carreira. Além das dinâmicas impostas à categoria como a sobrecarga no atendimento à população.

O deputado distrital, Jorge Vianna (PSD), fez um resgate da luta que resultou na lei do piso salarial da Enfermagem, e da importância da implementação da aplicação da lei à categoria, em especial, na rede pública em que a categoria pede a nivelação salarial dos técnicos em Enfermagem de 70% dos vencimentos dos enfermeiros, conforme prevê a nova legislação, no que tange ao funcionalismo público.

Percentual esse que o distrital voltou a abordar, posteriormente, durante sessão da CLDF, ao se referir aos técnicos em enfermagem que atuam no Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), bem como de outros profissionais de nível médio da SES-DF, atualmente de 50% dos vencimentos pagos aos de nível superior.

“Estamos pedindo que seja, pelo menos, de 70%, que é o que diz a Lei de Enfermagem, aprovada a nível federal. Temos 4.098 médicos na Secretaria de Saúde, 3.988 enfermeiros e 8.600 técnicos de enfermagem. Nós sabemos que para cada enfermeiro precisamos de, pelo menos, 3 técnicos”. Na sequência, ele verificou que faltam cerca de 3 mil técnicos de enfermagem no DF, dado que o levou a apontar a nomeação de aprovados em concursos da área como solução possível. “O maior déficit da área de saúde é o técnico de enfermagem”, disse Vianna.

Luta digna

O presidente da CLDF, Wellington Luiz (MDB), se fez presente na assembleia dos técnicos em enfermagem e classificou de uma “luta digna”, as pautas reivindicadas pela categoria, além de se comprometer com a luta dos profissionais de enfermagem. “Essa causa é da categoria, é da população e agora da Câmara Legislativa. Essa é uma luta digna. Vamos juntos nessa luta e tenham certeza que só vamos terminar quando sairmos vitoriosos.”, disse.

Wellington Luiz também recebeu um grupo de representantes da categoria para ouvir e atuar no encaminhamento de algumas das pautas em relação a reestruturação da carreira dos técnicos em Enfermagem. O presidente da Casa, agendou uma reunião do colégio de líderes, para levar adiante, a proposta discutida no encontro.

Encaminhamentos

De acordo com o diretor do Sindate-DF, Newton Batista, a diretoria deve acompanhar de perto os encaminhamentos ao longo dos próximos dias, para poder apresentar à categoria na próxima assembleia, agendada para o dia 20 de maio.

 

LEIA TAMBÉM

PD nas redes

FãsCurtir
SeguidoresSeguir
SeguidoresSeguir
InscritosInscrever