19.5 C
Brasília
15 abr 2024 06:33


Direção do SindSaúde-DF desconhece intervenção, mas deu tiro no pé ao tentar impedir assembleia, afirma advogada

Avaliação é de advogada que conversou com PDNews sobre tentativa de Marli Rodrigues cancelar assembleia e impedir categoria de deliberar sobre intervenção confirmada posteriormente

Por Kleber Karpov

A direção do Sindicato dos Empregados em Estabelecimentos de Saúde do DF (SindSaúde-DF), tentou evitar a realização da Assembleia-Geral Extraordinária (AGE), que deliberou sobre a intervenção do Sindicato. Com necessidade de um quórum de 2% dos sindicalizados para haver deliberação, ‘gestores’ do sindicato chegaram a publicar no Jornal de Brasília (15/Fev), o cancelamento da AGE. Além de tentarem alugar auditório para o mesmo dia e horário (26/Fev), da convocada pela categoria. Investidas essas, infrutíferas, segundo advogada que conversou com PDNEws.

Segundo denunciado, durante a assembleia coordenada pelo sindicalista, Amarildo Carvalho, para cumprir o rito previsto no Estatuto do SindSaúde-DF, era necessário realizar a publicação de convocação para a assembleia, em veículo de grande circulação. Publicações essas realizadas nos dias 15 e 23 de fevereiro, também noticiada por PDNews (17/Fev), sob o título ‘Servidores publicam anúncio de assembléia, para 26 de fevereiro, para pedir intervenção no SindSaúde-DF‘.

Divulgação que tirou do sério, a presidente interina, do SindSaúde-DF, Marli Rodrigues (MDB), e a levou a atacar o membro da Associação dos Servidores Públicos da Saúde do DF (ASPSES-DF), Andre Angelo, por divulgar a AGE em um grupo do Whatsapp.

Publicação realizada no Jornal de Brasília – Cedida ao PDNEws

Porém, ‘espertamente’, a gestão do SindSaúde-DF, até então sob comando da presidente, interina, Marli Rodrigues (MDB), com a intenção de confundir a categoria, conforme narrou Carvalho, a direção do Sindicato fez a publicação de um novo anúncio, esse por sua vez,  para informar o cancelamento da Assembleia, algo improcedente.

Publicação realizada no Jornal de Brasília – Cedida ao PDNEws

Chama atenção que Marli Rodrigues aponta como base argumentativa para o cancelamento da convocação da assembleia, a “insuficiência de quantitativo mínimo de sindicalizados”, além de questionar outras questões a exemplo de ausência de identificação e autenticidade das assinaturas. Porém, conforme informado durante assembleia, a convocação da assembleia foi endossada por 132 sindicalizados.

Tiro no pé

Em contato com uma advogada, sobre a condução dos processos, com as tentativas de impedir a realização da AGE por parte da categoria, a presidente interina do SindSaúde-DF acaba por ficar em situação delicada.  “Se ela [Marli Rodrigues] se negou a fornecer o total de filiados aptos para se apurar os 2%, ela simplesmente não pode se beneficiar da torpeza com esse argumento. A regra é clara, quem der casa a eventual nulidade, no processo, não pode dela se beneficiar”, explicou a advogada.

Por falar em números ou: pau que dá em Chico…

O caso chamou atenção de PDNews, que em 2019 repercutiu matéria publicada pelo Jornal de Brasília, sobre aceitação de denúncia, por parte do Ministério Público do DF e Territórios (MPDFT), protocolada por Carvalho, sob o número MPDFT 08190.133219/19-90, que trata da venda dos precatórios do benefício alimentação, por parte do SindSaúde-DF à Cia Toy Brinquedos.

O objeto da representação apresentada por Carvalho, era justamente, a quantidade e legitimidade dos 19 presentes em AGE realizada, em 17 de dezembro de 2012, por Marli Rodrigues, ocasião em que validaram a venda dos precatórios, por R$ 14,3 milhões, de aproximadamente 2.400 sindicalizados.

Cedido ao PDNews
Cedido ao PDNews

Denúncia aceita pelo MPDFT

Denúncia realizada e aceita pelo MPDFT – Cedida ao Política Distrital

De volta à intervenção

Após publicação de PDNews, sobre o sindicato amanhecer sob intervenção (27/Fev),  o fato concreto é que com aproximadamente 100 pessoas presentes na AGE, a categoria, deliberou pela intervenção da entidade. Medida essa que deve exigir da atual gestão, uma série de explicações sobre diversas demandas elencadas pelos sindicalizados, a grande maioria aposentados, que permanecem ligados à entidade.

Veja a assembleia na íntegra:

Normalidade

Obviamente, o time do ‘abafa o caso’ do Sindicato imediatamente foi para as redes sociais para tentar se contrapor a notícia de intervenção no Sindicato e desqualificar PDNews, ao apresentar imagens e vídeo, sem áudio e apenas de uma parte da sala, para apontar uma suposta “normalidade” nos atendimentos do SindSaúde-DF.

Sustentações essas realizadas por diretores e por um funcionário da casa, por meio de grupos de Whatsspp, a exemplo de Laura Batistas e Rodrigo Conde.

Policia militar e leões de chácara

Porém, o que ambos não mostraram é que a entidade chegou a ter que contar com a intervenção da Polícia Militar do DF (PMDF), pois segundo uma fonte de PDNews, a entidade estava cheia de ‘leões de chácara’, para se referir a seguranças, que só permitiram a entrada, no SindSaúde-DF, àquelas pessoas com agendamento previamente realizado.

Polícia Militar é chamada para conter confusão no SindSaúde-DF – Foto: Cedida ao PDNews

Mais que isso, PDNews recebeu relato de servidor, que pediu para não ser identificada e ter a voz alterada, por receio de sofrer retaliações, que apontou o impedimento de adentrar nas dependências do Sindicato, sem agendamento prévio. A sindicalizada criticou a gestão de Marli Rodrigues, além de cobrar informações sobre os precatórios.

O que diz o SindSaúde-DF

PDNews entrou em contato com o SindSaúde-DF para obter informações sobre os apontamentos de tentativa de inviabilizar a assembleia da categoria; sobre manter seguranças nas instalações do Sindicato, acontecimento com certa recorrência na entidade sindical e ainda sobre o não reconhecimento da AGE que deu causa a intervenção. Porém, até o momento da publicação da reportagem, não obteve nenhum retorno.

Kleber Karpov, Fenaj: 10379-DF – IFJ: BR17894
Mestrando em Comunicação Política (Universidade Católica Portuguesa/Lisboa, Portugal); Pós-Graduando em MBA Executivo em Neuromarketing (Unyleya); Pós-Graduado em Auditoria e Gestão de Serviços de Saúde (Unicesp); Extensão em Ciências Políticas por Veduca/Universidade de São Paulo (USP);

Ex-secretário Municipal de Comunicação de Santo Antônio do Descoberto(GO); Foi assessor de imprensa no Senado Federal, Câmara Federal e na Câmara Legislativa do Distrito Federal.

LEIA TAMBÉM