Secretaria de Saúde alega estar impedida de realizar testagem rápida em UBS e Drive Thruu por ações do MP

444
Print Friendly, PDF & Email

Secretaria aponta suspensões de aquisição de 100 mil testes e pagamento de kits adquiridos como fatores impeditivos

Por Kleber Karpov

Nesta quarta-feira (15/Jul), a Secretaria de Estado de Saúde do DF (SES-DF) publicou Nota de Esclarecimento em que alega estar impedida d realizar novos testes rápido, para detecção de infecção por coronavírus (Covid-19), em Unidades Básicas de Saúde (UBS) e drive thruu. De acordo com a pasta, o impedimento ocorre em decorrência de ações, por parte do Ministério Público.

Segundo a SES-DF, a partir dessas ações, a Justiça suspendeu a compra de 1 milhão de kits de testes rápidos, o que comprometeu a realização da testagem. Isso em decorrência da suspensão da contratação de 100 mil testes, e ainda, do pagamento de testes já aplicados na população.

Confira a nota na íntegra

Nota de esclarecimento – Testes rápidos para detecção de Covid-19

A Secretaria de Saúde do Distrito Federal informa à população que, em razão de ações do Ministério Público e decisões da Justiça, encontra-se impedida de fazer a testagem rápida da Covid-19, tanto nas unidades básicas de saúde quanto nos pontos de drive-thru espalhados pelo DF.

A Justiça suspendeu a compra de 1 milhão de unidades, que estava em andamento para dar continuidade na testagem nas UBSs, interrompeu um processo de contratação de 100 mil testes na modalidade drive-thru e ainda suspendeu o pagamento dos testes que já foram aplicados na população, todos aprovados pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

É fato que houve variação no valor dos testes no momento de cada compra em função da demanda provocada pela pandemia em todo o mundo. 

A distribuição dos 300 mil testes doados recentemente pela Receita Federal para o DF depende de análise de qualidade e eles só poderão ser aplicados nas UBSs e hospitais, uma vez que dependem de centrifugação de amostra sanguínea, porque são recomendados para soro ou plasma, identificando apenas o anticorpo IgM. 

A análise já foi concluída no Laboratório Central do DF (Lacen) e está em fase final de avaliação no Instituto Nacional de Controle de Qualidade da Saúde (INCQS), órgão da Fiocruz, no Rio de Janeiro.

MPDFT

Em contato com a assessoria de Comunicação do MPDFT, o órgão de controle, ainda não tem parecer sobre a referida nota de esclarecimento da SES-DF