Contrato de hospedagem do Programa Acolher é renovado

81
Print Friendly, PDF & Email

Iniciativa para servidores da Secretaria de Saúde continua por mais 45 dias

Por Leandro Cipriano

O contrato do Programa Acolher foi renovado até o dia 16 de agosto. Com isso, a iniciativa promovida pela parceria entre a Secretaria de Saúde e a Secretaria de Turismo continuará a oferecer hospedagem, por mais 45 dias, aos servidores que trabalham no Hospital Regional da Asa Norte (Hran), sendo estendida aos profissionais das demais unidades de saúde públicas que atuam na linha de frente do combate ao Covid-19.

A partir de sexta (3), até 250 servidores da Secretaria de Saúde, incluindo os 95 do Hran que já estavam lá, ficarão hospedados nos hotéis Grand Bittar e América Bittar. Os profissionais da saúde têm ficado em apartamentos individuais (single), com direito a café da manhã, almoço e jantar.

Os servidores que têm direito às hospedagens são aqueles envolvidos no atendimento presencial dos pacientes suspeitos ou diagnosticados com a Covid-19, que residem com pessoas do grupo de risco e precisam ser afastados de suas residências temporariamente.

De acordo com o secretário adjunto Executivo de Saúde, Paulo Ricardo Silva, a determinação do governador Ibaneis Rocha e do secretário de Saúde, Francisco Araújo, foi no sentido de manter as tratativas com as áreas envolvidas, e da Secretaria de Economia garantir a descentralização do recurso para assegurar o pagamento da hospedagem.

“Sabemos que no momento em que o profissional de saúde sai do hospital há um grande receio de contaminar seus familiares. O Programa Acolher traz mais tranquilidade a esses servidores que atuam na linha de frente contra a Covid-19, especialmente nesse momento de pico da pandemia. Por isso, houve uma conjunção de esforços para manter a iniciativa”, afirmou Paulo Ricardo Silva.

O gestor destaca que em nenhum momento houve, por parte do Governo do Distrito Federal (GDF), em especial pela Secretaria de Saúde, a intenção de suspender ou acabar com o Programa Acolher.

“Ele foi idealizado por nós, chancelado pelo GDF e operacionalizado pela Secretaria de Turismo, sendo uma grande parceira. Nessa guerra contra o coronavírus, estamos usando todas as armas para garantir que os nossos servidores estejam protegidos e tranquilos em relação aos seus familiares, para entregar a melhor assistência à saúde da população”, ressaltou.

A seleção dos trabalhadores foi feita por meio de uma plataforma administrada pela Secretaria de Saúde e contemplou, na primeira etapa, os profissionais lotados no Hran, mas já vislumbrava a possibilidade de ser ampliada.

Contratação

A contratação direta do hotel foi realizada por meio de Dispensa de Licitação, fundamentada na Lei nº 13.979/2020 e suas alterações. O resultado da seleção foi publicado em 18 de maio, na edição extra B do Diário Oficial do Distrito Federal (DODF).

A holding Phenicia, empresa vencedora do certame, teve a documentação analisada pela equipe da Secretaria de Saúde e atendeu a todos critérios estabelecidos no projeto básico. Ela engloba os hotéis Grand Bittar e América Bittar.

Protocolo

Os hotéis têm adotado um protocolo para receber os hóspedes. Além de desinfetar todas as superfícies de contato frequentemente, especialmente maçanetas, corrimões, balcões, botões de elevadores, os quartos recebem um cuidado extra. Eles são higienizados utilizando as etapas de limpeza e desinfecção.

A varredura e a espanação seca são contraindicadas em qualquer área, pois espalham poeira e micro-organismos no ambiente. Por isso, utilizam a varredura molhada, com panos e esfregões. Quanto à desinfecção, são usados os mesmos produtos químicos utilizados para a desinfecção hospitalar.

Fonte: Agência Brasília