151 Unidades de Saúde da Família, no país, foram inscritas para ampliar horário de atendimento

325
saude na hora
saude na hora
Print Friendly, PDF & Email

Lançado pelo Ministério da Saúde, na quinta-feira (16/Mai), programa Saúde na Hora oferece incentivo financeiro para Unidades de Saúde da Família que ampliarem horário de atendimento à população. Sem adesão formal, SES informa que várias equipes trabalham com mais de 60 horas semanais

Por Kleber Karpov

Em todo país, 151 Unidades Saúde da Família (USFs), de 29 dos 5.581 municípios, em 12 estados, aderiram ao programa Saúde na Hora, para estender o horário de funcionamento, no período da noite, além de permanecerem de portas abertas durante horário de almoço e, opcionalmente, nos fins de semana.

“O objetivo do programa é enfrentar a maior dificuldade encontrada hoje pela população, que é um horário de atendimento acessível ao trabalhador que chega no fim do dia e encontra o filho com algum problema de saúde, por exemplo, e não consegue consulta médica porque as unidades estão fechadas. Com essa iniciativa, as unidades podem funcionar em horário noturno, na hora do almoço, ou até nos fins de semana, fortalecendo o cuidado à saúde de toda a população”, destacou o secretário de Atenção Primária à Saúde, Erno Harzheim.

Adesões

Publicidade

Segundo o MS, do total de solicitações recebidas, até quarta-feira (22/Mai), 110 USF tiveram os pedidos finalizados e passam por análise técnica. Outras 41 unidades encontram-se em processo de preenchimento de informações por gestores municipais de saúde. O estado com o maior número de inscrições de USF ao Saúde na Hora é o Paraná (47), seguido pelo Mato Grosso do Sul (33) e Santa Catarina (28). Nas cinco regiões do país há estados que enviaram solicitações para participar do programa.

Distrito Federal

Com a saúde em completo caos, com 111 UFS em funcionamento com atuação de 423 Equipes de Saúde da Família (ESFs) com cobertura total de 49% da população, cerca de 1,5 milhão de habitantes, além de 166 Equipes de Saúde Bucal (ESBs), com alcance de 840 mil pessoas. Até o momento, o DF permanece sem indicação de USFs ampliar o horário de atendimento por meio do Saúde na Hora.

Do total de USF abertas, o MS estima que 78 são aptas a participar do novo programa. Isso por possuírem três ou mais ESFs, pré-requisito para adesão à ampliação do horário de atendimento à população.

Nesta semana, o MS também liberou um reforço mensal de R$ 242 mil para qualificar e fortalecer serviços oferecidos na Atenção Primária, à população do DF. Valor esse,  destinado a ESFs, ESBs, além de Núcleos Ampliados de Saúde da Família (NASF) certificados pelo desempenho satisfatório no 3º ciclo do Programa Nacional de Melhoria do Acesso e Qualidade da Atenção Básica (PMAQ-AB). O PMAQ-AB incentiva os gestores e as equipes de saúde a aperfeiçoar os serviços na Atenção Primária. Assim, os municípios que atingem melhoria no padrão de qualidade do atendimento recebem incentivo federal para continuarem a promover melhorias no atendimento à população.

O que diz a SES

Questionada sobre a ausência de inscrição por parte da Secretaria de Estado de Saúde do DF (SES-DF), por meio de nota a Pasta informou que “várias unidades já estão trabalhando com mais de 60 horas semanais, conforme prevê o programa do Ministério da Saúde. As informações devem ser repassadas ao Ministério da Saúde nesta segunda-feira, (27).”.

Com informações de MS