21.5 C
Brasília
17 jun 2024 13:25


Banco de Leite Humano do hospital de Santa Maria faz festa com doadoras

Objetivo foi agradecer cada mãe pelas doações e celebrar a Semana Nacional de Doação de Leite Humano

Por Jurana Lopes

Na última sexta-feira (24), o auditório do Hospital Regional de Santa Maria (HRSM) foi palco de uma grande festa realizada pelo Banco de Leite Humano (BLH) da unidade. O evento teve o objetivo de celebrar todas as doadoras que doam um pouco do seu leite e ajudam a salvar tantas vidas, além de comemorar a Semana Nacional de Doação de Leite Humano.

“Fazemos essa festa anualmente como forma de agradecimento às mães que doam seu leitinho. Hoje, temos uma média de 100 doadoras ativas. É um momento para comemorar e agradecer às doadoras, além delas poderem conhecer as outras doadoras e as mães que recebem o leite doado. Por isso, trouxemos as mãezinhas que estão com os filhos internados na UTI neonatal e na UCIN, para que elas possam ter essa troca de almas mesmo”, explicou a chefe do serviço de Banco de Leite Humano do HRSM, Maria Helena Santos Faria.

Várias famílias estiveram presentes no evento, que contou com uma palestra para esclarecer todas as dúvidas acerca da doação de leite humano, entrega de certificado para as mães doadoras, sorteio de brindes e um lanche servido no final.

Doadoras de leite materno participam de homenagem no HRSM – Fogo: Divulgação/IGEDSF

Presente no evento, a superintendente do HRSM, Eliane Abreu, agradeceu todas as mães doadoras e a equipe do BLH do HRSM pelo trabalho e dedicação. “Vocês fazem a diferença na vida de cada criança, porque este leite doado salva várias vidas”, afirmou.

A deputada distrital Jaqueline Silva (MDB) parabenizou todas as mães e ressaltou a importância da doação de leite. “Não posso deixar de falar como o trabalho do Banco de Leite é incrível e o quanto toda equipe se dedica para conseguir ajudar tantos bebês. Às mães doadoras, meus parabéns, pois vocês ajudam várias crianças com esse gesto de amor”, afirmou.

Certificado de Qualidade Fiocruz

Na última quinta-feira (23) o Banco de Leite Humano do HRSM recebeu uma certificação de qualidade da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz Brasília). Foi realizada auditoria técnica em todos os bancos de leite do Distrito Federal para avaliar a qualidade do leite humano distribuído aos recém-nascidos.

“Passaram por aqui, fizeram auditoria baseada pelas normas técnicas e focaram no que é importante para qualificar o leite humano e a pasteurização. Tivemos um resultado muito positivo, alcançamos o êxito e ganhamos 100% no processo de pasteurização. Então, sabemos que o leite humano distribuído aqui tem excelente qualidade. É um trabalho de toda a equipe do Banco de Leite Humano do HRSM e estamos muito felizes pelo resultado”, destacou a chefe do serviço de Banco de Leite Humano do HRSM.

Homenagens especiais

Doadoras de leite materno participam de homenagem no HRSM – Fogo: Divulgação/IGEDSF

Durante a festa das doadoras, houve um momento de homenagem para a primeiro-sargento do Corpo de Bombeiros Militar do Distrito Federal (CBMDF), Cleide Maria Nóbrega, que realizou coleta de leite materno nas residências das doadoras cadastradas por mais de 13 anos, passando pelos bancos de leite de vários hospitais e por último, no HRSM.

Maria Helena agradeceu os vários anos de dedicação e amor ao trabalho realizado durante as coletas. Além disso, entregou flores e um presente em nome de toda a equipe do Banco de Leite.

“Eu não poderia deixar de vir até essa festa. Foram 30 anos dentro do Corpo de Bombeiros e mais de 13 na coleta das doações de leite. Para mim, é um prazer imenso ter trabalho com vocês e ter ido na casa de cada uma aqui. O Banco de Leite do HRSM é um dos melhores que já passei, com a equipe mais humanizada e preocupada com o bem-estar das doadoras. Vou me aposentar com a sensação de dever cumprido”, afirmou Cleide.

A mamãe Gisele Vital, de 26 anos, tocou violão e fez uma canção para homenagear todas as pessoas presentes no evento. Ela ficou internada no HRSM pouco mais de um mês com o filho Rael Levi, hoje com 1 ano e um mês.

“Meu filho nasceu prematuro de 28 semanas, ficou internado na UTI neonatal e na UCIN. Em 90% do tempo que estivemos aqui eu doava meu leite, tirava cerca de três potes por dia. Quando eu precisava sair do hospital, meu filho recebia leite doado. Então, lá dentro eu vi a importância de cada gota que doamos. Infelizmente, meu filho desmamou sozinho e não consegui manter as doações quando sai”, explicou.

Luana Daise Melo, de 31 anos, é mãe do Gabriel, 8 anos, Gabriela, 4 anos e da Mariana, de 9 meses. Ela atualmente é doadora e conta que foi orientada pela equipe quando recebeu alta da maternidade do HRSM, onde teve sua filha caçula.

“Sempre tive muito leite e aí me passaram o contato do Banco de Leite daqui, fiz meu cadastro e começaram a ir buscar o leite na minha casa. Me sinto muito feliz e abençoada por poder amamentar meus filhos, todos mamaram até os dois anos e agora, também consigo doar e ajudar a salvar a vida de outros bebês”, afirmou.

LEIA TAMBÉM

PD nas redes

FãsCurtir
SeguidoresSeguir
SeguidoresSeguir
InscritosInscrever