19.5 C
Brasília
18 abr 2024 04:55


Fundação de Amparo ao Trabalhador Preso ganhará sede própria

Valor gasto atualmente com aluguel será revertido em políticas públicas, podendo capacitar até 2 mil reeducandos a mais por ano

Por Jak Spies

Após 37 anos atuando sem sede própria, a Fundação de Amparo ao Trabalhador Preso (Funap) recebeu a cessão de área para a construção de uma central, graças à parceria da nova gestão do órgão com a Secretaria de Justiça e Cidadania do Distrito Federal (Sejus).

O novo ambiente contará com oficinas, cursos profissionalizantes e um maior espaço para a contratação de reeducandos | Fotos: Lúcio Bernardo Jr./Agência Brasília

A cessão ocorre sem qualquer ônus financeiro ou administrativo para a pasta. Atualmente, o aluguel da Funap passa dos R$ 35 mil por mês. Com uma sede própria, o valor poderá ser revertido em políticas públicas e ações do órgão.

De acordo com o diretor financeiro da Funap, Cleone de Sousa Rocha, com os novos recursos ganhos por meio da economia do aluguel pago atualmente, será possível capacitar até 2 mil reeducandos a mais por ano.

“A fundação tem a importância de trazer a ressocialização do preso. O reeducando que está trabalhando pensa duas vezes antes de reincidir no crime, e a sociedade ganha com isso”, observa Rocha.

Segundo o diretor financeiro, R$ 5 milhões já foram reservados para iniciar a obra, que tem lote e espaço garantidos. Os recursos vêm da arrecadação da Funap, por meio das taxas de contratação de trabalhadores apenados.

Com uma sede própria, no SIA, a Funap poderá reverter o valor do aluguel em políticas públicas e ações

Investimento em profissionalização

A nova sede será construída no Setor de Indústria e Abastecimento (SIA), no Trecho 17, Via IA 4, Lote 1.615. De acordo com a diretora em exercício da Funap, Tereza Mota, o SIA é um local mais central, onde a maioria dos reeducandos é atendida.

O novo ambiente contará com oficinas, cursos profissionalizantes e um maior espaço para a contratação de reeducandos. Com a cessão do local, o próximo passo é o projeto arquitetônico para construir o prédio.

“Antes era um espaço alugado que nos limitava muito e não tinha um espaço adequado. A Funap é uma referência na questão da ressocialização, com cerca de 3 mil reeducandos trabalhando em empresas públicas e privadas. Nossa ideia é aumentar esse número”, afirma a diretora.

Ela acrescenta, ainda, que esse é um marco importante na história do órgão, além de um passo significativo em direção à ressocialização e reintegração social das pessoas presas e egressas do sistema prisional do Distrito Federal.

LEIA TAMBÉM