28.5 C
Brasília
19 abr 2024 15:10


Carla Zambelli, com arma em punho, persegue cidadão em bairro de São Paulo

Carla Zambelli alega agressão mas vídeo desmente versão de deputada que caiu sozinha e em seguida, armada, perseguiu um homem negro. Houve disparo, supostamente, disparado por pessoa que acompanhava parlamentar

Por Kleber Karpov

A deputada federal Carla Zambelli (PL-SP) sacou uma arma e apontou no meio da rua nos Jardins, área nobre de São Paulo, na tarde deste sábado (29). Com a arma em punho, a deputada atravessou a rua Joaquim Eugênio de Lima com a Alameda Lorena em perseguição a homem a quem acusou de agressão. O cidadão, identificado como o jornalista e integrante da Democracia Corintiana, Luan Araújo, em desespero, entrou em um bar para tentar se proteger, mas foi perseguido e ´contido´ pela congressista. Isso após perseguição que chegou a ter disparo de um tiro, hipoteticamente, por um acompanhante de Zambelli.

Em um vídeo divulgado nas redes sociais, Zambelli alegou legitima defesa ao dizer  que foi cercada e agredida por “meliantes” do PT. “To fazendo um boletim de ocorrência. Eu fui agredida. […] Me empurraram no chão. Um homem negro. Eles usaram um negro pra vir em cima de mim”, disse.

A deputada alegou ainda serem vários agressores, “Eram vários. Aí eu estava aqui saindo do restaurante, eles tinham visto a gente antes, no vidro aqui, vários homens se aproximaram, uma mulher de camiseta vermelha ficou do lado de lá dando cobertura. Todos eles se evadiram. […] E aí quando ele me empurrou eu caí, saí correndo atrás dele, falei que ia chamar a polícia, que ele tinha que ficar aqui para esperar polícia chegar. Polícia já tá aqui, ele se evadiu, saquei arma e saí correndo atrás dele. Pedi pra ele parar, ficou com medo, parou dentro de um bar, pedi pra ele esperar, porque eu ia chamar a polícia, e dar flagrante. Ele começou a pedir desculpa, acabamos de filmar pedido de desculpa, falei, pode ir. [Ele] Começou a fazer de novo. Só que aí pessoal tirou ele, eram vários que estavam com ele.”.

Porém

Outros registros publicados nas redes sociais, podem contradizer a fala de Zambelli, que supostamente pode ter caído sozinha, em vez de ser empurrada, conforme alegou a d deputada, por parte do suposto agressor.

Após publicação de reportagem, pelo Metrópoles, Zambelli, apontou outra versão da inicial (Veja Aqui), sobre ter sido empurrada pelo agressor, ao que atribuiu o ato a uma segunda pessoa, segundo a parlamentar, também parte do grupo de agressores.

Porte de arma

O caso, que ocorre, em menos de 24 horas do início do segundo turno das eleições presidenciais, trouxe a tona o questionamento em relação ao porte de armas tanto por parte de Zambelli, quando da pessoa que acompanhava a deputada.

Isso porque, em 29 de setembro, o plenário do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) aprovou resolução que alterou a Resolução TSE nº 23.669, de 14 de dezembro de 2021, que define regras do processo eleitoral para as Eleições 2022. A Resolução, com discussões iniciadas em 30 de agosto de 2022, proibiu o transporte de armas e munições, em todo o território nacional, por parte de colecionadores, atiradores e caçadores no dia das Eleições, nas 24 horas que antecedem o pleito e nas 24 horas que o sucedem.

De acordo com a Resolução, “O descumprimento da referida proibição acarretará a prisão em flagrante por porte ilegal de arma sem prejuízo do crime eleitoral correspondente.”

Porte Federal?

Vale ressaltar que 3 de setembro, Zabelli, chegou a confrontar o Alexandre de Moraes, presidente do TSE, justamente sobre o tema. A deputada, bolsonarista, chegou a publicar no Twitter, questionamento direcionada ao ministro, ocasião em que deixou claro a intenção de descumprir a proibição do uso de arma de fogo, sob alegação de ter o que classificou de “porte federal”.

“Alexandre de Moraes, quero saber quem vai garantir minha segurança no dia das eleições, se você está passando recibo de que o cidadão de bem estará desarmado no dia 02/10. Tenho porte federal e não deixarei minha pistola em casa, pq vossa excrecência (Sic) não tem como garantir nada!”, publicou no microblog Twiiter.

 

LEIA TAMBÉM