Governador Ibaneis cogita retirar exigência do uso de máscaras no DF

Com 49,2% de pessoas totalmente imunizadas, DF ocupa 10ª posição no ranking nacional

229
Print Friendly, PDF & Email

Por Kleber Karpov

O governador Ibaneis Rocha (MDB), disse na sexta-feira (22/Out), que estuda a retirada da exigência do uso de máscaras em ambientes públicos no Distrito Federal. Com obrigatoriedade estabelecida em abril de 2020, Rocha, afirmou que medida depende do número de imunizados e da taxa de transmissão do coronavírus no DF.

A medida passa a ser cogitada, no momento em que a capital do país, com uma população de 3.094.325 de pessoas, de acordo com dados estimados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE)(1º/Jul), e um total de 3.703.812 de doses aplicadas contra a covid-19.

Publicidade

A imunização no DF alcançou um total de 1.525.984 pessoas, equivalente a 49,32%, com a primeira dose, e 2.236.068 (72,26%), se considerado também a segunda. Levantamentos esses, de 22 de outubro, divulgados pelo Consórcio de Veículos de Imprensa (CVI), composto pelos grupos Folha, Globo e Estado, a partir de dados das secretarias estaduais de Saúde.

O DF ocupa a 10ª posição, entre os estados brasileiros com maior índice de imunização completa, atrás de São Paulo (65,2%), Mato Grosso do Sul (62,79%), Rio Grande do Sul (56,59%), Santa Catarina (53,95%), Paraná (53,25%), Espirito Santo (52,16%), Minas Gerais (50,69%) e Ceará (49,34%).

Uso de máscara

No país, o prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes anunciou, na última semana que pretende liberar o trânsito, sem uso obrigatório de máscaras, em locais abertos, quando a cidade atingir 65% da cobertura vacinal e a derrubada total da exigência, o que inclui locais fechados, ao alcançar 75% das pessoas vacinadas.

No mundo, Portugal, com um dos melhores índices de imunização no mundo, em janeiro desse ano, instituiu um severo lockdown. Somente no final de setembro, após vacinar mais de 80% da população e controlar a disseminação da covid-19, o país liberou o trânsito de pessoas sem a obrigatoriedade da máscara em áreas abertas, além de manter a exigência, para o uso da proteção individual, em ambientes fechados.

No Reino Unido, que passou por medidas semelhantes à de Portugal, em relação ao lockdown. Após controlar a disseminação do coronavírus, liberou ainda na segunda quinzena de julho, com cerca de 50% da população totalmente imunizada, segundo dados da Our World In Data (21/Out), o trânsito de pessoas sem o uso de máscaras, em ambientes abertos. Atualmente com 67,7% da população totalmente imunizada, a flexibilização do uso de máscaras desde julho, volta a preocupar o país, que teme uma quarta onda de infecções por covid-10.

Nos Estados Unidos, com uma população de mais de 300 milhões de habitantes, o uso obrigatório da máscara foi liberado em 13 de maio desse ano, momento em que o país seguia com mais de quinze dias de declínio em números de novos casos e de óbitos. Ocasião em que os EUA estavam com apenas 36,1% da população totalmente imunizada e 46,9% com apenas uma dose contra a covid-19. Porém, desde a segunda quinzena de julho, a situação piorou e o governo federal americano que voltou a recomendar o uso de máscaras enfrenta resistência uma vez que retorno opiniões de governadores, por exemplo, entre manter a liberação do uso da proteção para pessoas com imunização total. Nesse contexto, os EUA que em julho chegou a ter apenas 37 óbitos em um único dia, com o novo aumento do número de casos, na última semana chegou a registrar mais de 2 mil óbitos em um único dia.

Artigo anteriorAção itinerante faz 2 mil atendimentos em Água Quente, no Recanto das Emas
Próximo artigoColônia Agrícola 26 de Setembro deve ganhar linha integrada ao metrô