UBS abandonada vai ser transformada em UPA no Gama

345
Print Friendly, PDF & Email

Na manhã deste sábado (18), o governador Ibaneis Rocha visitou o local

Por Ian Ferraz

O Governo do Distrito Federal decidiu incluir no pacote que prevê a construção de sete Unidades de Pronto-Atendimento (UPA) neste ano a do Setor de Indústrias (SI) do Gama. Ela vai funcionar no lugar de uma UBS (Unidade Básica de Saúde), que, em 2016, chegou a ter as obras iniciadas, mas, no local, encontra-se somente o esqueleto.

De acordo com o Instituto de Gestão Estratégia de Saúde (Iges-DF), as sete UPAs terão um investimento de R$ 34 milhões. Transformar a UBS abandonada em uma UPA era um dos planos do governo que vai sair do papel.

A UPA do Gama ficará na QI 6, onde estão as comunidades dos setores de Indústrias e Leste. A licitação deve ser aberta ainda neste semestre. A unidade vai funcionar 24h e prestará o primeiro atendimento aos casos emergenciais, estabilizando os pacientes e realizando a investigação diagnóstica inicial, definindo a necessidade de encaminhamento a serviços hospitalares de maior complexidade.

Na manhã deste sábado (18), o governador Ibaneis Rocha visitou o terreno ao lado do presidente do Iges-DF, Francisco Araújo; do secretário de Saúde, Osnei Okumoto; do secretário de Governo, José Humberto Pires; e do secretário de Obras, Luciano Carvalho.

“Estamos com a licitação da UPA em andamento. Ela vai ajudar muito a saúde da cidade”, pontuou o governador Ibaneis Rocha. Para Francisco Araújo, a concretização da unidade hospitalar é “uma resposta aos pedidos e demandas da população do Gama”.

Naquele ano em que foi lançado o início da UBS, os governos Federal e do Distrito Federal assinaram convênio que garantia recursos federais para a construção. A população do Setor Leste chegou a comemorar o anúncio, pois significava uma redução de 3,5km de deslocamento até o Hospital Regional da cidade (HRG).

A UPA do Gama ficará na QI 6, onde estão as comunidades dos setores de Indústrias e Leste. Foto: Acácio Pinheiro / Agência Brasília

Mas hoje não sobrou nada. Vândalos aproveitaram a interrupção da obra e carregaram tudo o que viram pela frente. “Levaram madeira, ferro, cimento”, recorda-se o morador do Setor Leste, Diego Souza, 30 anos. “Precisamos de uma UPA aqui”, reforça.

A futura UPA ficará a 500 metros da casa de Angélica Maria da Silva, 43. Uma facilidade para ela. “A gente percebe que, neste governo, as coisas estão andando bem. Essa UPA será ótima”, disse, entusiasmada.

O anúncio da construção das sete UPAs – incluindo a do Gama – foi feito pelo governador em dezembro do ano passado. Na ocasião, Ibaneis disse que a construção das unidades “é a convicção de que nós estamos avançando na solução dos problemas na área da saúde”.

Fonte: Agência Brasília