25.5 C
Brasília
14 jun 2024 18:16


“Voo do Melhor Amigo” leva 20 toneladas de ração para pets resgatados no Rio Grande do Sul

Itens como caixas de transporte, camas e bebedouros também foram enviados para os animais que estão em abrigos

Salvar a vida e cuidar dos animais que sofreram com as enchentes do Rio Grande do Sul é parte importante do trabalho do Governo Federal. Com o propósito de dar mais conforto e alimentação adequada aos pets, a Força Aérea Brasileira (FAB) realizou, na manhã deste sábado (18), o “Voo do Melhor Amigo”. Em uma força-tarefa, embarcaram para o estado gaúcho 20 toneladas de ração, além de itens essenciais, como caixas de transporte, camas e bebedouros. A aeronave KC-390 Millennium decolou às 11h32 da Base Aérea de Brasília para a Base Aérea de Canoas levando os suprimentos para os animais que estão em abrigos.

Em todo o Rio Grande do Sul, estima-se que cerca de 275 mil cães e gatos tenham sido impactados pela emergência. Até o momento, estima-se que foram resgatados mais de 12,2 mil animais.

Antes da decolagem, foi realizada uma ação com a presença de crianças e cães em um ato simbólico ao envio da ração aos animais atingidos pelas enchentes no Rio Grande do Sul. Isabela Marra, de 7 anos, foi acompanhada da mãe, Rania Marra, e de seu cachorrinho, Théo. “Muito legal estar aqui hoje, na Base Aérea, porque vai sair um voo cheio de rações para os cachorros lá do Rio Grande do Sul, que estão precisando da nossa ajuda, o Voo do Melhor Amigo”, contou Isabela. “Queremos que os animais do Rio Grande do Sul tenham todo o conforto que o nosso Théo tem em casa”, completou Rania.

“Muito legal estar aqui hoje, na Base Aérea, porque vai sair um voo cheio de rações para os cachorros lá do Rio Grande do Sul, que estão precisando da nossa ajuda, o Voo do Melhor Amigo”

Rania Marra com a filha, Isabela, e o cachorrinho da família, Théo

Priscila Maia também levou o filho Enrico, de 1 ano e 7 meses, para acompanhar a ação. “É importante trazer as crianças para a conscientização de ajudar o próximo e não esquecer dos animais que também precisam de alimento e de água”, comenta.

O brigadeiro do ar Daniel Cavalcanti de Mendonça, chefe do Centro de Comunicação Social da Aeronáutica, afirmou que as doações não param de chegar e que o envio dos donativos ao Rio Grande do Sul é constante. “Hoje é o voo alimentando o seu melhor amigo. Estamos levando de Brasília 20 toneladas de alimentos para os animais que também precisam”, disse.

A FAB atua desde o dia 30 de abril, na Operação Taquari 2, resgatando pessoas e transportando ajuda humanitária em apoio aos atingidos pelas enchentes no estado gaúcho. “O papel da Força Aérea é unir os anônimos que doam aos anônimos que recebem. E a gente tem procurado fazer isso em todas as nossas ações. Aqui recolhemos no nosso galpão de recebimento, processamos com extremo cuidado e máximo carinho”, afirmou Cavalcanti.

A primeira-dama, Janja, durante ação antes da decolagem do voo com suprimentos para pets do Rio Grande do Sul

Recursos

Em resposta à situação de emergência, o Governo Federal, por meio do Ministério da Integração e do Desenvolvimento Regional (MIDR), anunciou a liberação de recursos para ações de socorro e assistência que contemplem a aquisição de insumos para os animais. A Portaria nº 1.710/2024 estabelece critérios para a distribuição dos recursos, considerando a população de cada município.

Municípios com até 50.000 habitantes podem receber até R$ 45 mil, enquanto aqueles com 50.001 a 100.000 habitantes terão acesso a até R$ 90 mil. Por fim, municípios com mais de 100.000 habitantes poderão receber até R$ 180 mil para aquisição de insumos destinados aos cuidados com animais de estimação.

A primeira-dama, Janja da Silva, esteve presente na ação deste sábado e destacou a medida. “A gente conseguiu com que os prefeitos possam solicitar à Defesa Civil recursos para os abrigos onde estão os animais resgatados. A gente sabe a dificuldade que é manter esses abrigos porque eles são pequenos em sua maioria. Os prefeitos, a partir de segunda-feira, poderão solicitar à Defesa Civil uma ajuda emergencial para esses abrigos”, afirmou

Questionário

O Ministério do Meio Ambiente (MMA) disponibilizou um questionário sobre as demandas relacionadas aos animais nos municípios afetados pelas chuvas. Até o momento, 132 municípios responderam ao questionário. Nessas regiões, foram registrados um total de 12.380 cães e 2.214 gatos desabrigados, acolhidos em locais temporários.

As principais necessidades identificadas incluem o fornecimento de ração, vermífugos, antiparasitários para pulgas e carrapatos, caixas transportadoras, guias, coleiras, vacinas (como a puppy ou V10), medicamentos, microchips, além de materiais de higiene e limpeza. O Ministério da Defesa, o Ministério do Meio Ambiente, o Ibama, o ICMBio, a Polícia Federal, a Polícia Rodoviária Federal, a Defesa Civil, o Corpo de Bombeiros e grupos voluntários de resgate continuam o trabalho de resgate aos animais.

Doações

Com grande quantidade de água recebida por doações, o brigadeiro explicou que o foco da organização e das doações mudou, devido à necessidade de itens de higiene pessoal e alimentos não perecíveis. “A gente tem visto também a necessidade da parte de higiene pessoal. A gente pediu para que mudasse o foco, tirasse um pouco o foco da água e trouxesse mais para essa parte de higiene pessoal que está precisando bastante e alimentos não-perecíveis que as pessoas sempre precisam”, afirmou.

Logística

As doações são recebidas no centro de processamento, no hangar de distribuição, na Base Aérea de Brasília. O chefe do Centro de Comunicação Social da Aeronáutica conta que itens de maior necessidade são levados no modal aéreo, que é o mais rápido, em voo de duas horas, mas que existem outras maneiras de as cargas chegarem ao estado: através do modal rodoviário, em três dias, e do multimodal, que une os meios rodoviário, ferroviário e marítimo.

Através do multimodal, saem cerca de seis contêineres por dia em direção ao Rio Grande do Sul, em uma parceria com o Ministério dos Portos e Aeroportos.

“Aquilo que se necessita mais rápido: duas horas. Aquilo que nós podemos planejar: três dias. No rodoviário e o multimodal em sete dias. Então é um planejamento contínuo, numa mobilização que não vai cessar, no sentido de organizar para que isso chegue rapidamente. A força aérea vai sim, diuturnamente, não somente receber, mas também processar tudo e levar aos nossos irmãos”, explicou.

Voluntariado

Os aviões da FAB também transportam os voluntários para atuar diretamente no estado. Um desses voluntários, a médica veterinária Patrícia Silva, moradora do Distrito Federal, embarca neste domingo para auxiliar no cuidado aos animais. “Eu me candidatei para ir ajudar os colegas, que estão em grande quantidade, mas a dimensão da necessidade que tem lá demanda que a gente vá. Não tem como ficar com o coração tranquilo aqui vendo os colegas lá já esgotados. A gente está indo para dar apoio e ficar o tempo que for preciso”, contou Patrícia.

LEIA TAMBÉM

PD nas redes

FãsCurtir
SeguidoresSeguir
SeguidoresSeguir
InscritosInscrever