15.5 C
Brasília
24 maio 2024 10:48


GDF inaugura tenda de acolhimento a pacientes com dengue em Samambaia

A unidade conta com consultório médico, farmácia, laboratório e sala de hidratação; atendimento ocorre das 7h às 19h, todos os dias da semana

Por Ana Paula Siqueira

Samambaia recebeu, nesta quinta-feira (25), a tenda de acolhimento a pacientes com dengue. Ela está localizada no estacionamento da Unidade Básica de Saúde (UBS) 7, na Quadra 302, em Samambaia Sul. Essa é a oitava estrutura lançada pelo Governo do Distrito Federal (GDF) de um total de 11. O intuito é oferecer atendimento rápido e humanizado para quem enfrenta a doença ou apresenta sintomas.

Localizada no estacionamento da Unidade Básica de Saúde (UBS) 7, na Quadra 302, em Samambaia Sul, a nova tenda de acolhimento a pacientes com dengue, como as demais, passa a oferecer atendimento rápido e humanizado para quem enfrenta ou está com suspeita da doença | Fotos: Paulo H. Carvalho/Agência Brasília

A tenda funciona das 7h às 19h todos os dias da semana e tem capacidade para realizar 150 atendimentos por dia. A estrutura conta com consultório médico, farmácia, laboratório e sala de hidratação. Ao chegar, o usuário passa por uma triagem e, a depender do quadro, segue imediatamente para a hidratação oral ou venosa. Pessoas de todo o DF podem ser atendidas, independente de morar ou não na região administrativa.

Adilson Batista, morador de Samambaia, afirma que, após sentir fortes dores no corpo, buscou atendimento médico: “O atendimento foi muito rápido. Passei pela triagem e vim para a hidratação”

Morador de Samambaia, o vendedor Adilson Batista, de 59 anos, afirma que, após sentir fortes dores no corpo, buscou atendimento médico e, quando viu a instalação da tenda logo cedo, não teve dúvidas.

“O atendimento foi muito rápido. Passei pela triagem e vim para a hidratação”, relatou enquanto aguardava o resultado do exame para saber se realmente está com dengue e que demora, em média, 15 minutos para ficar pronto. “É disso que o Brasil precisa”, finalizou.

Lucilene Pires Rodrigues trouxe o neto Gianluca para ser atendido na tenda: “Aqui foi muito rápido. Chegamos e ele foi logo sendo atendido. No início da semana, buscamos um hospital particular e foi muito demorado. Aqui valeu a pena”

A aposentada Lucilene Pires Rodrigues, 63 anos, trouxe o neto Gianluca, de 17, para ser atendido na tenda. Ela conta que cogitou buscar consulta na rede particular, mas preferiu ir à tenda quando soube da inauguração em Samambaia.

“Aqui foi muito rápido. Chegamos e ele foi logo sendo atendido. No início da semana, buscamos um hospital particular e foi muito demorado. Aqui valeu a pena”, garante.

Nelma Louzeiro, secretária-adjunta de Gestão em Saúde, destaca que, embora o atendimento seja essencialmente para casos de dengue, os pacientes que chegarem com qualquer outra queixa serão examinados e, a depender de cada caso, serão encaminhados para dar prosseguimento ao atendimento em outras unidades

Orientação

Secretária-adjunta de Gestão em Saúde, Nelma Louzeiro, destaca que, embora o atendimento seja essencialmente para casos de dengue, os pacientes que chegarem com qualquer outra queixa serão examinados e, a depender de cada caso, serão encaminhados para dar prosseguimento ao atendimento em outras unidades. O importante, afirma, é que a população busque os serviços oferecidos pelas tendas aos primeiros sintomas de dengue.

Arte: Agência Brasília

“A gente apela à população que nos ajude a desafogar os hospitais e UBSs, e que realmente utilizem o serviço que estamos oferecendo. São 12 horas de atendimento, em Samambaia. Somamos todos os equipamentos de saúde para desafogar o atendimento”, enfatiza a secretária-adjunta.

Sandra França, coordenadora de Atenção Primária à Saúde, afirma que a tenda de Samambaia, somada às demais que já estão em funcionamento, é um grande reforço para o atendimento à população

A coordenadora de Atenção Primária à Saúde, Sandra França, afirma que a tenda de Samambaia, somada às demais que já estão em funcionamento, é um grande reforço para o atendimento à população.

“A capilarização das tendas é fundamental para que a comunidade tenha condição de ir às que são mais próximas aos locais de suas moradias. Cada local foi pensado para conseguir assistir determinada comunidade”, afirma a coordenadora.

O diretor médico das tendas, Clauber Lourenço, ressalta a importância das tendas no enfrentamento à doença. “A hidratação é fundamental para uma boa evolução, para diminuir as comorbidades e a mortalidade”, disse. Ele destaca também a importância das tendas para garantir o atendimento de toda a população, pois “com uma outra estrutura que desafoga as demais unidades, abre a oportunidade para atendimento de outras enfermidades”.

Nas tendas, a população conta com os serviços de um coordenador, médicos, enfermeiro, técnicos em enfermagem, técnicos em laboratório, especialista em laboratório (biomédico ou farmacêutico bioquímico), servidores da área administrativa, farmacêuticos, além de pessoal de limpeza e de segurança.

Além de Samambaia, já contam com os serviços as regiões administrativas de Vicente Pires, Planaltina, Ceilândia, Taguatinga, Guará, Gama e Paranoá – sendo que, nas últimas três, o funcionamento é ininterrupto (24h).

No total, cerca de 500 profissionais da Saúde atuam no reforço ao atendimento da população do DF nas tendas de acolhimento.

LEIA TAMBÉM

PD nas redes

FãsCurtir
SeguidoresSeguir
SeguidoresSeguir
InscritosInscrever