26.5 C
Brasília
18 maio 2024 17:42


DF apresenta ações de combate à dengue em coletiva do Ministério da Saúde

Chefe da pasta destacou atendimento ampliado nas Unidades Básicas de Saúde, instalação de tendas de atendimentos em nove Regiões Administrativas, dentre outras iniciativas

Representando o Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass), a chefe da pasta no Distrito Federal, Lucilene Florêncio, participou do anúncio da estratégia de vacinação contra a dengue, realizado pelo Ministério da Saúde, nesta quinta-feira (25).

Em entrevista coletiva, o órgão federal detalhou o público-alvo e as regiões endêmicas que receberão os imunizantes, a partir de fevereiro. O processo foi organizado com Conass e Conasems – órgãos representantes das Secretarias de Saúde dos estados e municípios – seguindo as recomendações da Câmara Técnica de Assessoramento em Imunização (CTAI) e da Organização Mundial de Saúde (OMS).

Presente à entrevista, a ministra da Saúde, Nísia Trindade, observou que o enfrentamento à doença deve ser uma soma de esforços. “O combate à dengue é uma ação de governo, mas tem de ser uma ação também de cada cidadão, de cada cidadã. É necessário lembrar que os focos do mosquito estão 75% nas casas, então essa união de esforços é muito importante”, destacou.

Nísia também comentou a chegada da vacina ao país e lembrou que o ministério seguirá atuando para que a imunização contra a dengue se consolide. “A vacina é, de fato, uma novidade auspiciosa, um instrumento de saúde fundamental. Não obstante, a indústria tem um número limitado de doses para atender um país grande como o nosso. Vamos continuar trabalhando para aumentar essa escala de produção de forma combinada com a empresa”, disse.

A chefe da pasta no DF afirmou que os gestores de todo o país estão trabalhando em conjunto. “Estamos alinhados, sintonizados e focados na prevenção das arboviroses. As decisões são colegiadas, vindas de câmaras técnicas, de uma comissão tripartite, que inclui governo federal, estados e municípios. Estamos atentos ao uso de novas tecnologias para o enfrentamento da dengue”, explicou Lucilene Florêncio, que é vice-presidente do Conass, representando a região Centro-Oeste.

Na ocasião, a gestora distrital detalhou as principais ações adotadas pelo Governo do Distrito Federal (GDF) no enfrentamento à doença, como o atendimento ampliado nas Unidades Básicas de Saúde (UBSs), a instalação de tendas de atendimentos em nove Regiões Administrativas, a mobilização das equipes para os Dias “D” de combate à doença, dentre outras.

“Estamos trabalhando com vários órgãos, como Serviço de Limpeza Urbana (SLU), Defesa Civil, Corpo de Bombeiros para fiscalizar o descarte irregular de resíduos. A vacina vem nos dar um alento. Mas temos de fazer nosso dever de casa, nossa parte. Vamos conversar com o Ministério da Defesa e pedir apoio também ao Exército para ampliar a nossa frente de combate ao mosquito”, disse.

Representando o Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass), a chefe da pasta no Distrito Federal afirmou que os gestores de todo o país estão trabalhando em conjunto. Foto: Julia Prado/Ministério da Saúde.

Após ressaltar que a rede pública de saúde tem testes suficientes para detecção da doença, Lucilene agradeceu o apoio do Ministério da Saúde e do Conass. A Secretaria de Saúde (SES/DF) contará com duas carretas para ajudar no enfrentamento à doença: uma ficará no Sol Nascente/Pôr do Sol e a outra, de forma itinerante. Neste fim de semana, estará em ação do GDF, no Recanto das Emas.

Situação de emergência

O risco de epidemia de dengue e outras arboviroses levou o GDF a declarar situação de emergência na saúde pública. A medida foi publicada em decreto na edição extra do Diário Oficial do Distrito Federal (DODF) desta quinta-feira (25). O texto autoriza o governo a tomar as medidas administrativas necessárias para conter a doença, em especial a aquisição de insumos e materiais e a contratação de serviços.

último Boletim Epidemiológico de dengue no Distrito Federal, com dados até 20 de janeiro, mostra um total de 16.079 casos prováveis notificados, um aumento de 646,5% frente ao mesmo período do ano passado.

LEIA TAMBÉM

PD nas redes

FãsCurtir
SeguidoresSeguir
SeguidoresSeguir
InscritosInscrever