20.5 C
Brasília
18 abr 2024 08:07


Novembro Roxo: HRSM promove ações para conscientização sobre prematuridade

Evento no Hospital Regional de Santa Maria destaca cuidados e prevenção do parto prematuro

Por Luciane Paz 

Nesta sexta-feira, 17 de novembro, o Hospital Regional de Santa Maria realizou um evento dedicado ao Novembro Roxo, mês internacional de sensibilização à prematuridade. Profissionais da saúde, mães da UTIN (Unidade de Terapia Intensiva Neonatal), maternidade e o público em geral participaram de palestras que abordaram temas essenciais.

Das 8h30 às 17h, especialistas como enfermeiros, farmacêuticos, fisioterapeutas, psicólogos e terapeutas compartilharam informações cruciais sobre o parto prematuro, suas causas e medidas preventivas. Tópicos como ambiência, aleitamento materno, desenvolvimento motor e respiratório, além de cuidados psicológicos, foram abordados para proporcionar uma visão abrangente sobre o tema.

Maria Helena Nery, terapeuta ocupacional da UTI Neonatal, evidenciou: “realizamos este evento para sensibilizar a população e nossa equipe sobre o Dia Mundial da Prematuridade. Em uma unidade fechada, muitas histórias se desenrolam, e esta é nossa chance de trazer um pouco do nosso trabalho e dar voz às mães que enfrentam essa luta. Abordar o cuidado com o prematuro e como nossa equipe lida com processos diferenciados é crucial para compreender esse público delicado e necessário, unificando esforços e dando voz a essas pessoas”.

O Ministério da Saúde revela que anualmente, cerca de 340 mil bebês nascem prematuros no Brasil. Essa realidade destaca a necessidade de debater e promover a conscientização.

Lorena Cardoso Mendes, Chefe de Serviço de Enfermagem, destacou a importância do cuidado em um ambiente especializado e do suporte emocional aos pais para um desenvolvimento saudável: “O cuidado e apoio ao recém-nascido prematuro e aos pais são essenciais para garantir seu desenvolvimento saudável. Esses bebês frequentemente enfrentam desafios de saúde, e um monitoramento constante e intervenções apropriadas são cruciais”, afirmou Lorena.

Fabíola dos Reis, de 36 anos, mãe da Helena, que nasceu prematura extrema de 25 semanas com apenas 560 gramas, expressou a importância de ter todas essas informações e o apoio da equipe: “Esse tipo de evento representa muito, não apenas informam, mas também oferecem apoio. Lidar com o nascimento prematuro é assustador. Sentir-se apoiada faz toda a diferença”.

Origem da data

No dia 17 de novembro, é comemorado o Dia Mundial da Prematuridade, data escolhida pelo significado especial para um dos fundadores da EFCNI (European Foundation for the Care of Newborn Infants), após a morte de seus trigêmeos prematuros, em 17 de novembro de 2008. No Brasil, essa iniciativa começou em 2011, a partir de um blog que compartilhava experiências de mães e profissionais lidando com bebês prematuros.  E através da Associação Brasileira de Pais, Familiares, Amigos e Cuidadores de Bebês Prematuros – ONG http://Prematuridade.com, organização sem fins lucrativos dedicada, em âmbito nacional, à prevenção da prematuridade, à educação continuada para profissionais de saúde e à defesa de políticas públicas voltadas aos interesses das famílias de bebês prematuros.

“O evento dedicado ao Novembro Roxo no Hospital Regional de Santa Maria não é apenas um marco no calendário, mas uma oportunidade de educação e apoio. A conscientização sobre a prematuridade não deve ser limitada a um único dia; é um compromisso constante. Cada informação compartilhada, cada história contada e cada mãe apoiada são passos cruciais em direção a um futuro onde o cuidado aos recém-nascidos prematuros seja uma prioridade. Juntos, podemos moldar uma sociedade mais atenta e solidária, garantindo que nenhum prematuro enfrente esse processo sem o suporte necessário”, finalizou a chefe do Serviço de Enfermagem.

LEIA TAMBÉM