21.5 C
Brasília
23 fev 2024 04:00


Saúde destina R$ 80 milhões para custear ações e serviços nas cidades afetadas pelas chuvas no Rio Grande do Sul

O recurso emergencial imediato será destinado à aquisição de medicamentos, kits de calamidade, reparos, construção e reconstrução de unidades de saúde, entre outras ações.

O Ministério da Saúde vai destinar R$ 80 milhões em apoio emergencial imediato às cidades atingidas nos últimos dias pela passagem do ciclone extratropical na região Sul do país. A iniciativa faz parte do esforço do governo federal anunciado neste domingo (10), em Lajeado (RS), pelo presidente em exercício Geraldo Alckmin, durante reunião com a participação da ministra da Saúde, Nísia Trindade, do governador do estado, Eduardo Leite e de outros ministros, prefeitos e secretários. O anúncio ocorreu após visita aos principais municípios atingidos, entre eles Roca Sales, Muçum, Estrela, Cruzeiro do Sul e Lajeado. 

Do total de R$ 741 milhões a ser liberado, R$ 80 milhões referem-se a ações como o envio de equipe da Força Nacional do Sistema Único de Saúde (SUS), de kits calamidade, de medicamentos e outros insumos de saúde, além da instalação de um hospital de campanha (HCAMP) em Roca Sales, com o apoio do Grupo Hospitalar Conceição (GHC), de Porto Alegre. Nesse município – um dos mais afetados pelo desastre – será construído um novo hospital, já que o antigo foi totalmente destruído. O GHC vem auxiliando também o município de Muçum com estrutura especial no socorro às vítimas. O montante será utilizado ainda na realização de reparos, reconstrução e construção de unidades de saúde e de novas farmácias.

A ministra da Saúde, Nísia Trindade, destacou o papel do Sistema Único de Saúde (SUS) em situações de calamidade como a que acontece no Rio Grande do Sul: “Diante da tragédia ocorrida pelo ciclone que impactou tantos municípios no Vale do Taquari, é um alento ver a força do nosso SUS. Quero agradecer o empenho de todos os profissionais do Ministério da Saúde, dos voluntários que se agregaram a nós. Temos o Hospital de Campanha de Roca Sales, coordenado pela Força Nacional do SUS. Teremos que fazer muito mais. Fornecemos kits de medicamentos e fizemos isso a partir do Programa de Vigilância de Desastres do Ministério da Saúde. É uma ação integrada de todo o governo federal na linha do que o presidente Lula vem colocando, de cuidado das pessoas em situação de risco, e mostramos o valor dessa união”. 

Esforço conjunto 

O deslocamento da comitiva ao estado – composta pelos ministros da Defesa, José Múcio; da Saúde, Nísia Trindade; da Integração e do Desenvolvimento Regional, Waldez Góes; do Desenvolvimento Agrário e Agricultura Familiar, Paulo Teixeira; da Secretaria de Comunicação da Presidência da República, Paulo Pimenta; do Desenvolvimento e Assistência Social, Wellington Dias; das Cidades, Jader Filho; e do Meio Ambiente e Mudança do Clima, Marina Silva, além de representantes de outros ministérios e órgãos federais – reforça uma série de ações já tomadas pelo governo federal, desde o início da semana, para auxiliar a população gaúcha atingida pelas chuvas e alagamentos. Seguindo orientações do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que está na Índia para a Cúpula do G20, foi criado um comitê permanente de apoio ao Rio Grande do Sul. 

Nísia Trindade reforçou que a missão do governo federal permitiu ver o quanto a Saúde contribui para esse processo e para os desafios do tempo presente, em que o fenômeno das mudanças climáticas vai ainda tornar mais agudos eventos extremos como o que atinge a região. “Nesse momento, é hora de salvar vidas, de cuidar das pessoas e, nesse sentido, eu quero reforçar aqui o papel da Força Nacional do SUS, uma força que agora de fato é retomada no espírito da sua origem, em 2010. Essa Força Nacional do SUS, ao lado de todo o trabalho do Grupo Hospitalar Conceição, vinculado ao Ministério da Saúde, garantiu um apoio de qualidade, um hospital de campanha no município de Roca Sales e muitas ações em coordenação com a Secretaria de Saúde do estado e dos municípios, como é da filosofia do nosso Sistema Único de Saúde”, declarou. 

A ministra falou ainda sobre a importância da preparação para emergências climáticas e sua relação com a saúde. “No Ministério da Saúde, na Secretaria de Vigilância em Saúde e Ambiente, nós incluímos de uma maneira muito forte essa pauta da prevenção e da resposta rápida. Quero agradecer a toda a equipe envolvida e, por fim, colocar os desafios que são postos para nós no apoio à recuperação das unidades de saúde e ao cuidado e a uma visão integral de saúde nesses municípios. Essa é a missão histórica do SUS e esse é o trabalho do Ministério da Saúde”, concluiu Nísia Trindade. 

Outras ações 

Na última quarta-feira (6), o Ministério da Saúde já havia enviado 10 kits de medicamentos e insumos de assistência farmacêutica para auxílio à população prejudicada pelo ciclone extratropical e pelas fortes chuvas que atingem o Rio Grande do Sul. Cada kit tem capacidade para assistir 1,5 mil pessoas durante um mês. Dessa forma, os kits permitirão o atendimento a 15 mil pessoas no período. Os estoques de vacinas também estão sendo reforçados. Uma nova remessa, com 20 kits para atender às necessidades pontuais de municípios da região, deve ser enviada ao estado nesta segunda-feira (11). 

Dois técnicos do Programa de Vigilância de Desastres (Vigidesastres) foram enviados ao estado para apoio às ações de resposta à emergência em saúde pública, a fim de reduzir o risco da exposição da população e dos profissionais de saúde, reduzir doenças e agravos decorrentes delas, bem como os danos à infraestrutura de saúde. 

De acordo com a Secretaria de Saúde do Rio Grande do Sul, há um levantamento em andamento sobre os locais mais afetados. Além disso, estoques de vacinas estão sendo reforçados junto às Coordenadorias Regionais de Saúde. 

LEIA TAMBÉM

Brasília
céu limpo
21.5 ° C
21.5 °
19.8 °
83 %
0.5kmh
0 %
sex
22 °
sáb
25 °
dom
26 °
seg
26 °
ter
22 °

PD nas redes

FãsCurtir
SeguidoresSeguir