HRAN em cirurgia bariátrica é apresentada em simpósio regional

Técnica menos invasiva e número de procedimentos são destacados em palestra

Print Friendly, PDF & Email

Por Jade Abreu

Não é à toa que Brasília sedia o II Simpósio de Cirurgia Bariátrica e Metabólica do Centro-Oeste, O evento teve início na sexta-feira (27) e prossegue até este sábado (28). O Distrito Federal se destaca nesse procedimento em relação a outras unidades da Federação, especialmente pela técnica de videolaparoscopia disponível pelo Sistema Único de Saúde. O procedimento é feito com pequenas incisões no abdome, o que diminui o tempo de cirurgia, de internação e proporciona menor incomodo ao paciente.

Desde 2008, o Hospital Regional da Asa Norte (Hran) soma mais de mil operações desse tipo. Por mês, o hospital também realiza mais de 500 atendimentos com cirurgião, nutricionista e psicólogo para os pacientes de bariátrica.

Publicidade

Entre os palestrantes do congresso, está a chefe do serviço de cirurgia bariátrica do Hran, Ana Carolina Fernandes. A médica defende que a oferta desse tipo de operação “é uma questão de saúde pública porque nas nossas emergências chegam pacientes com questões associados à obesidade, como enfarto, diabetes, problemas na coluna e nas articulações. A cirurgia melhora não apenas o excesso de peso, mas também as consequências”. A profissional destaca que diabetes, por exemplo, ainda pode causar problema na visão, rins e coração.

Foto: Agência Saúde DF

Gabriela Rodrigues fez a cirurgia pela rede pública. Ela foi recomendada pela equipe médica do Sarah Kubitschek, onde faz tratamento desde os seis meses porque nasceu com pé torto. Após a operação, assegura que “100% das dores ao andar sumiram. Eu tinha muita dificuldade, tanto pelo pé quanto pelo peso”.

Para Gabriela, o valor de uma cirurgia como essa na rede particular seria inacessível. “Tudo superou minha expectativa, A equipe me deu todo o suporte, tanto no pós quanto no acompanhamento, com os exames e os medicamentos”, detalha. Ela passou pelo procedimento em 4 de fevereiro e eliminou 25 quilos.

A pessoa com obesidade, que não teve sucesso com o tratamento clínico e que tenha indicação de tratamento pela cirurgia, é encaminhada por endocrinologista da rede para o serviço especializado no Hran. Após a operação, o acompanhamento prossegue com o apoio de equipe multidisciplinar, que auxilia no alcance dos objetivos esperados.

O II Simpósio de Cirurgia Bariátrica e Metabólica do Centro-Oeste é organizado pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Bariátrica e Metabólica e ocorre na Associação Médica de Brasília.

FONTEAgência Saúde DF
Artigo anteriorEscola no Parque da Cidade atende crianças e adultos em situação de rua
Próximo artigoCaesb utiliza análise espacial e inteligência artificial para monitorar Bacias de Mananciais