Após reivindicações do Sindate, Secretaria de Economia sinaliza a criação de Gratificação de Atividade em Urgência e Emergência

Print Friendly, PDF & Email

Em abril deste ano, o Sindicato dos Auxiliares e Técnicos em Enfermagem do Distrito Federal (Sindate-DF) protocolou um ofício solicitando a Secretaria de Economia a recomposição de perdas salariais tendo em vista os índices inflacionários.

Alguns dos pedidos do Sindate a SEEC foram:

  • O reajuste de 15% correspondente as perdas salariais e a média acumulada dos últimos 5 anos;
  • Aumento no valor do TPD;
  • Aumento da insalubridade para grau máximo de 20%
  • Gratificação de Atividade em Urgência e Emergência para todos os integrantes da Carreira de técnico em enfermagem, correspondendo a 20% do vencimento base para os setores de alta complexidade.

De acordo com o órgão, as primeiras propostas não podem seguir adiante no momento por conta da Lei Eleitoral que impede reajustes no prazo de seis meses antes da eleição.

Publicidade

A respeito da Gratificação de Atividade em Urgência e Emergência, a Secretaria afirmou que a proposta já tramitou na pasta e que ela já foi incluída no anexo IV da Lei de Diretrizes Orçamentárias de 2023, 2024 e 2025.

O diretor, Newton Batista, frisa que essa é uma luta antiga do Sindate, tendo em vista que as emergências de saúde são locais que costumam haver sobrecarga para os técnicos em enfermagem que trabalham nelas. “Agora nós iremos buscar que essa Gratificação esteja definitivamente nos contracheques dos profissionais que atuam nas emergências do Distrito Federal”, declarou.

FONTESindate-DF
Artigo anteriorNo combate à dengue, agentes visitam 550 imóveis em Arniqueira
Próximo artigoCanabinóides podem auxiliar no tratamento de doenças neurológicas