Secretaria de Saúde do DF admite erros em imunização infantil

A pasta ressalta que não houve nenhuma reação adversa, geralmente constatada no período de até 72h após a aplicação da vacina.

55
Print Friendly, PDF & Email

Por Ana Paula Oliveira

A Secretaria de Saúde do Distrito Federal divulgou nota, na noite desta quinta-feira (20/01), informando que houve dois casos de imunização incorreta. Uma criança de 9 anos, de Ceilândia, recebeu a primeira dose da vacina aplicada em adolescentes com 12 anos ou mais e adultos.

O outro caso ocorreu no Paranoá. Uma adolescente que tinha completado 12 anos na semana que antecedeu a data de vacinação do público infantil, foi imunizada com a primeira dose da vacina pediátrica. Profissionais dessa da UBS informaram que a mãe relatou ter se confundido com a idade da filha, ao dizer que a adolescente tinha 11 anos.

Publicidade

De acordo com a nota, as famílias das pacientes foram procuradas e as crianças são acompanhadas pela rede pública de Saúde.

Confira a nota na íntegra:

erros de imunização

A Secretaria de Saúde informa que registrou dois casos de erros de imunização na campanha de vacinação infantil contra a covid-19. As famílias das crianças foram procuradas por profissionais da rede pública assim que as equipes identificaram os enganos. Não houve registro de evento adverso pós vacinação e as crianças estão bem, em casa e sendo monitoradas pela Pasta.

No domingo (16), na UBS 1 do Paranoá, uma adolescente que tinha completado 12 anos na semana que antecedeu a data de vacinação do público infantil, foi imunizada com a primeira dose da vacina pediátrica. Profissionais dessa UBS informaram que a mãe relatou ter se confundido com a idade da filha, ao dizer que a adolescente tinha 11 anos.

Naquele momento, o erro não foi percebido e houve a aplicação da vacina infantil da Pfizer-BioNTech. Imediatamente após perceberem o engano, os profissionais conversaram com a família e notificaram no sistema. A orientação é que, em oito semanas, a adolescente retorne para receber a segunda dose da Pfizer adulto.

O segundo caso ocorreu na segunda-feira (17), na UBS 3 de Ceilândia. Uma criança de 9 anos recebeu a primeira dose da vacina aplicada em adolescentes com 12 anos ou mais e adultos. Após constatar o erro de imunização, a equipe da unidade notificou a Subsecretaria de Vigilância à Saúde (SVS) e entrou em contato com a família do menor. No mesmo dia, ela foi atendida no Hospital Regional de Taguatinga (HRT) e passou por avaliação médica.

A Secretaria ressalta que não houve nenhuma reação adversa, geralmente constatada no período de até 72h após a aplicação da vacina. A criança continua sendo acompanhada pela equipe de saúde da Região Oeste e, nesta quinta-feira (20), passou por nova consulta no Hospital Regional de Ceilândia (HRC). Após oito semanas, essa criança completará ciclo vacinal com a dose pediátrica da Pfizer-BioNTech, conforme orientação médica.

Artigo anteriorModernização do Na Hora de Ceilândia inicia na próxima segunda (24)
Próximo artigoSaúde do DF soma mais de 47 mil testes de covid-19 realizados em janeiro