DF foca no combate ao mosquito Aedes Aegypti

Em 24 horas foram recolhidas 96 toneladas de entulho só em Ceilândia. Reforço na limpeza das cidades é uma das ações preventivas contra a dengue

54
Print Friendly, PDF & Email

Uma limpeza cuidadosa por todos os cantos do Distrito Federal e o combate aos focos do mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue, estão na lista das principais tarefas do GDF Presente. Nesta semana, as cidades de Ceilândia, cidade mais populosa do DF, e de Sobradinho receberam os serviços do programa, que tem caráter preventivo e educativo.

Uma equipe da Administração Regional de Ceilândia se somou aos trabalhadores do programa em um mutirão de limpeza em áreas e terrenos públicos da cidade. São prioridade o recolhimento de entulhos e a retirada de objetos que acumulam água, potenciais criadouros do mosquito, além do combate a insetos peçonhentos como escorpiões e roedores.

“Infelizmente, nesta época do ano, as pessoas tendem a descartar esses inservíveis de forma incorreta. Então, estamos tomando uma importante medida contra a dengue”

Marcelo Piauí, administrador de Ceilândia

Publicidade

Somente em um dia, cerca de 96 toneladas de lixo e inservíveis foram retiradas das ruas da região administrativa. Objetos como pneus, móveis e utensílios domésticos em desuso, resto de obras e embalagens plásticas compunham a maior parte do lixo retirado. Terrenos da QNM 27, em Ceilândia Norte, da Área Especial da QNP 11, e a Via P2, no Setor P Norte foram os alvos.

“Infelizmente, nesta época do ano, as pessoas tendem a descartar esses inservíveis de forma incorreta. Então, estamos tomando uma importante medida contra a dengue”, aponta o administrador regional de Ceilândia, Marcelo Piauí.

A moradora do P Norte, Irany de Souza, 41 anos, compartilha da mesma opinião. Lembra que o Natal é um momento em que muitas pessoas trocam os móveis de suas casas por novos. Mas o descarte, infelizmente, é feito em qualquer canto.

“Quando deixamos os sofás, televisões e armários em algum terreno esse material vai atrair sujeira e doenças como a dengue. Tem gente que larga na esquina de casa. A responsabilidade é de cada morador”, alerta a ceilandense.

Paradas de Sobradinho

Em Sobradinho, a ação é mais direcionada. As paradas de ônibus da cidade, em especial o teto desses abrigos, estão sendo limpos. Uma grande quantidade de água também é retirada das estruturas. Trata-se de demanda da administração regional, que alertou para o fato de que os locais se tornaram propícios para a reprodução do mosquito.

Vinte e duas lajes de paradas de ônibus nas quadras 2,4,6,8 11 e 12, situadas na Rua 1 da região administrativa, já foram completamente limpas. Na Quadra 11/13, por sinal, uma grande “piscina” se formou no teto do abrigo. Para completar, as equipes desobstruíram de canaletas e tubulações de escoamento de água.

Segundo o administrador de Sobradinho, Eufrásio da Silva, a estrutura das paradas não ajuda. “São abrigos muito antigos, onde o escoamento da água não acontece como deveria. E ainda há a queda de muitas folhas no teto das paradas. A água se acumula, o que é perigoso para a propagação do Aedes aegypti”, explica.

“Por se tratar de um lugar com grande circulação de pessoas, são importantíssimas essas medidas de prevenção”, complementa Eufrásio, para quem a estimativa é de que três mil pessoas usam o transporte coletivo, diariamente, em Sobradinho.

A equipe está aparelhada com um caminhão-pipa e um caminhão-toco, usado para recolhimento da sujeira. A limpeza geral segue até o final desta semana.

O Polo Norte do GDF Presente também efetuou a retirada de dois caminhões de entulho em Sobradinho, em frente ao Condomínio RK. A equipe do programa também iniciou o patrolamento da rodovia DF-330, localizada no bairro Nova Colina.

Facebook Notice for EU! You need to login to view and post FB Comments!
FONTEAgência Brasília
Artigo anteriorHospital da Criança de Brasília recebe resultado de certificação de qualidade
Próximo artigoProsus quer informações sobre Plano de vacinação para a Covid-19 no DF