Sanoli: GDF rescindirá contrato com fornecedora de refeições em hospitais

575
Print Friendly, PDF & Email

Decisão partiu do governador Ibaneis Rocha (MDB), após greves e suspensão de alimentação nas unidades de saúde

Por Francisco Dutra

A Secretaria de Saúde do Distrito Federal vai rescindir o contrato para fornecimento de alimentação hospitalar com a empresa Sanoli. O governador Ibaneis Rocha (MDB) decidiu anular o acordo após sucessivos episódios de falta de refeições para pacientes, acompanhantes e servidores no DF.

“A Secretaria de Saúde informa que, em atendimento à determinação do governador do Distrito Federal Ibaneis Rocha, rescindirá o contrato com a empresa Sanoli. A empresa vem descumprindo o contrato e trazendo prejuízo à Saúde do DF e, por isso, buscará, de forma legal, a rescisão”, afirmou a pasta, em nota enviada ao Metrópoles.

A Sanoli cobra do GDF o pagamento R$ 60 milhões de serviços prestados para governos passados. De forma recorrente, a empresa atrasa salários dos funcionários terceirizados responsáveis pela alimentação. Sem dinheiro, os empregados cruzam os braços, suspendendo as refeições.

A empresa foi contratada para fornecer a alimentação para os hospitais regionais da Ceilândia (HRC), Gama (HRG), Samambaia (HRSam), Asa Norte (Hran), Guará (HRGu), Santa Maria (HRSM) e Hospital Materno Infantil (Hmib). Na semana passada, a última greve afetou até mesmo as mamadeiras de recém-nascidos.

Não há atrasos
Segundo o governo Ibaneis, não há atrasos nos pagamentos da atual gestão. “A reivindicação da empresa é de reajustes nos serviços prestados em 2014, em que os pagamentos eram realizados por verba indenizatória. A secretaria já fez várias tratativas com representantes da Sanoli. Essa cobrança não pode ser paga pela pasta sem uma decisão judicial favorável à empresa”, argumentou.

De acordo com a secretaria, independentemente do impasse, não há justificativa para a suspensão da alimentação dos pacientes. “Cabe salientar que os serviços prestados não podem ser interrompidos por este motivo, uma vez que não há descumprimento de qualquer cláusula contratual por parte da Secretaria de Saúde”, pontuou.

O Metrópoles entrou em contato com a Sanoli, mas a empresa não se manifestou sobre o assunto.

Fonte: Metrópoles