Doação de monitores e desfibriladores reabrirá dezenas de leitos em hospitais do DF

116


Print Friendly, PDF & Email

Equipamentos foram doados pelo Ministério da Saúde por meio da Parceria para o Desenvolvimento Produtivo

Alline Martins

A Secretaria de Saúde recebeu, nesta quarta-feira (28), a doação de 80 monitores e 47 desfibriladores do Ministério da Saúde, por meio da Parceria para o Desenvolvimento Produtivo (PDP). Os equipamentos permitirão a reabertura de leitos de UTI e fortalecerão a estrutura de todos os centros obstétricos da rede pública de saúde do Distrito Federal.

“No DF teremos a possibilidade de abrir de 47 a 50 leitos de UTI, que apenas aguardavam esses equipamentos para voltar a funcionar. Já temos o levantamento das unidades que irão receber e a primeira é o Hospital Regional do Gama, onde serão reabertos quatro leitos”, anunciou o secretário de Saúde, Osnei Okumoto.

Além do Hospital Regional do Gama, na primeira etapa de entregas serão contemplados o Hospital da Região Leste (antigo Hospital Regional do Paranoá), onde serão reabertos cinco leitos, e o Hospital Materno Infantil de Brasília, com a reabertura de quatro leitos pediátricos.

Publicidade

“Depois de patrimoniados, os equipamentos também irão para todos os centros obstétricos da rede, sendo dois monitores e um desfibrilador para cada”, adianta a gerente de Serviços de Terapia Intensiva da Secretaria de Saúde, Sâmara Godeiro.

Parceria

A doação dos equipamentos é feita em parceria que visa ampliar o acesso a medicamentos e produtos para saúde considerados estratégicos para o Sistema Único de Saúde (SUS), por meio do fortalecimento do complexo industrial do país. O objetivo principal é fomentar o desenvolvimento nacional para reduzir os custos de aquisição dos medicamentos e produtos para saúde que atualmente são importados ou que representam um alto custo para o SUS.

“No DF teremos a possibilidade de abrir de 47 a 50 leitos de UTI, que apenas aguardavam esses equipamentos para voltar a funcionar”, anunciou o secretário de Saúde, Osnei Okumoto | Foto: Mariana Raphael / Saúde-DF

No caso dos monitores e desfibriladores os equipamentos vêm por meio de um termo de compromisso assinado com a Universidade Estadual da Paraíba.

“Em 2013, assinamos contrato com o Ministério da Saúde e também com uma empresa privada. A duração é de cinco anos e, depois deste período, a empresa terá de nos passar a tecnologia para que possamos fabricar os equipamentos”, conta a coordenadora administrativa do Núcleo de Tecnologias Estratégicas em Saúde da Universidade Estadual da Paraíba, Kátia Galdino.

Depois dos trâmites burocráticos, a primeira compra de equipamentos aconteceu em agosto de 2017 e a entrega foi feita no final daquele mesmo ano. “Na primeira etapa conseguimos um contrato de R$ 15 milhões e entregamos a seis estados. Posteriormente, conseguimos outro contrato, no valor de R$ 40 mil, e contemplamos 17 estados e o Distrito Federal”, comemora a coordenadora.

Segundo o Ministério da Saúde, em 2019 foram adquiridos 828 monitores e 457 desfibriladores para distribuição em todo o Brasil.

Entrega

De acordo com o coordenador geral de Atenção Hospitalar e Domiciliar do Ministério da Saúde, Rafael Leonardo Mendonça, a escolha dos estados que receberiam os equipamentos decorreu de mapeamento da necessidade de cada região pelos produtos.

“Perguntamos aos estados e ao DF qual a necessidade deles e estamos tentando atender de acordo com o orçamento do Ministério da Saúde, priorizando aqueles com mais necessidade. Até o fim deste ano pretendemos contemplar todo o país com uma quantidade. Para aqueles que necessitarem de mais [peças], voltaremos no próximo ano com outras entregas”, adiantou.

Fonte: Agência Brasília