Médico da rede pública é preso em Taguatinga por estupro de vulnerável

1327


Print Friendly, PDF & Email

Gilmar Pereira Falcão, detido na segunda-feira, foi condenado a 10 anos e 11 meses, em regime fechado

Por Fernando Caixeta

Um médico da Secretaria de Saúde, Gilmar Pereira Falcão, 53 anos, foi preso no local de trabalho após o cumprimento de um mandado de prisão por estupro de vulnerável. Falcão dava expediente na Unidade Mista de Saúde de Taguatinga quando foi levado por agentes da Polícia Civil, nessa segunda-feira (05/08/2019).

O clínico da Secretaria de Saúde foi condenado em segunda instância a 10 anos e 11 meses de prisão, em regime fechado. Gilmar foi levado em viatura da Subsecretaria do Sistema Penitenciário (Sesipe) para o Centro de Detenção Provisória da Papuda.

A ação penal que resultou na condenação do médico está sob segredo de Justiça e, por isso, não há detalhes disponíveis sobre o crime praticado por Gilmar.

Publicidade
Reprodução
Médico condenado por estupro de vulnerável foi preso nessa segunda-feira (05/08/2019) – Foto: Reprodução/Metrópoles

Metrópoles tentou contato com três advogados que o representam em outra ação penal, para ouvir o posicionamento da defesa. Os telefones informados no cadastro dos defensores na Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) não atenderam as ligações.

Por meio de nota, a Secretaria de Saúde confirmou a demissão do servidor, mas informou que as circunstâncias dizem respeito a “questões pessoais, que não são do conhecimento da pasta”.

A reportagem pediu posicionamento ao Conselho Regional de Medicina (CRM) e aguarda resposta. No sistema de busca à situação cadastral do médico, o registro de Gilmar consta como ativo. Ele possui inscrições no Distrito Federal e em Goiás. Conforme o CRM, ele tem 20 anos de profissão e está inscrito desde abril de 1999.

No Portal da Transparência, o último salário informado de Gilmar, referente a junho de 2019, mostra uma remuneração de R$ 16,3 mil.

Mandado de prisão contra mé… by Metropoles on Scribd

Fonte: Metrópoles