15.5 C
Brasília
13 jul 2024 10:20


CLDF aponta importância do aleitamento materno em sessão solene

Representantes da área da saúde ressaltaram a importância do banco de leite materno do DF

Por Christopher Gama 

Em comemoração ao Dia Mundial de Doação de Leite Humano, comemorado em 19 de maio, a Câmara Legislativa do DF realizou, nesta terça-feira (18), sessão solene para celebrar a data e para debater a importância do trabalho desenvolvido pelo Banco Leite do DF, que é gerido pela Secretaria de Saúde. A solenidade, comandada pelo deputado Jorge Vianna (PSD), recebeu mulheres que atuam na linha de frente da política de acolhimento e incentivo à amamentação e serviu para o esclarecimento de muitas dúvidas sobre a doação de leite.

Vianna mencionou iniciativas próprias ligadas ao tema, a exemplo da lei complementar nº 1034/2024, promulgada este ano, que concede à servidora lactante do DF um horário especial para amamentação. O texto autoriza até duas horas da jornada diária de trabalho para amamentação até que o lactente complete 24 meses de vida.

Outra proposição destacada pelo parlamentar foi o PL nº 258/2023, que ainda tramita na Casa e busca a concessão de gratuidade no transporte público para participantes do ‘Programa Mãe Nutriz’, projeto que incentiva o contato entre mães e bebês recém-nascidos internados em unidades de neonatologia da rede pública.

Banco de Leite

O Banco de Leite Materno do DF realiza a coleta e distribuição de leite humano para bebês prematuros e recém-nascidos em estado crítico. Sua atuação reduz a mortalidade neonatal e melhora a saúde dos internados em UTI’s. Por meio de campanhas e parcerias com hospitais, o banco tem garantido doações constantes, essenciais para o desenvolvimento dos bebês.

Jorge Vianna ressaltou a importância do serviço desenvolvido pelo banco como instrumento de promoção de saúde pública. O distrital também reconheceu que nosso sistema de saúde ainda apresenta muitas falhas estruturais, mas que, ainda assim, merece ser reconhecido.

“Nós temos um dos melhores sistemas públicos de saúde do Brasil para a criança e o recém-nascido. Obviamente, temos dificuldades, mas pouco se fala das qualidades do nosso sistema de atenção neonatal. Eu sei que a saúde enfrenta suas dificuldades, mas ela presta, sim”, declarou o distrital.

A coordenadora dos bancos de leite do DF, Mariana Curado, destacou que Brasília tem a maior rede de banco de leite do mundo, o que faz com que seja a única unidade da federação autossuficiente.

Curado falou da importância não apenas da amamentação, mas do incentivo à doação de leite ao banco, que, além de atender bebês que não podem receber o alimento da própria mãe, trabalha no acompanhamento e auxílio de lactantes que encontram dificuldades. “O próprio ato de amamentar já é uma doação, uma dedicação da mulher. Mas precisamos parar de romantizar a lactação, que precisa de um apoio para que possa acontecer de forma efetiva para a mulher e o bebê, porque não é tão fácil como pensam”, pontuou.

Em 2023 os bancos de leite humano e os postos de coleta de leite humano (BLH/PCLH) do DF coletaram 22 mil litros que atenderam mais 15 mil bebês na Capital Federal. Neste ano, já foram oito mil litros que alimentaram cerca de seis mil recém-nascidos. “Prestamos um serviço de excelência”, afirmou Mariana.

A coordenadora de Saúde da Criança e do Adolescente do Ministério da Saúde, Sônia Venâncio, pontuou que o sistema de fomento à coleta e ao aleitamento materno desenvolvido pelo Brasil é um exemplo a outros países. Ela lembrou ainda que nossas diretrizes sugerem que, nos primeiros 6 meses da criança, o alimento deve ser exclusivamente o leite, que pode seguir sendo oferecido de forma complementar até os 2 anos ou mais, pincipalmente, aos bebês nascidos prematuros. “Previne infecções e aumenta o índice de sobrevivência”, afirmou.

Coleta

Um importante parceiro na oferta de leite materno na rede pública de saúde é Corpo de Bombeiros Militar do Distrito Federal (CBMDF). São eles que realizam a coleta domiciliar do leite materno destinado a atender os recém-nascidos que ainda estão sendo atendidos nas unidades de saúde.

Essa parceria foi elogiada pelos participantes da solenidade, uma vez que os bombeiros são responsáveis por 90% da coleta de todo leite que chega ao banco. A primeira tenente Adriana Dias contou que os militares passam uma vez por semana nas casas das mães cadastradas no programa para fazer o recolhimento e que o leite fica armazenado em local refrigerado durante esse tempo, mantendo a qualidade do alimento.

A militar elogiou a logística desenvolvida pelos militares e destacou ainda a iniciativa das mães que se dispõem ofertar seu próprio leite em auxílio às outras crianças que precisam. “Essas mães são verdadeiras heroínas”, declarou.

A sessão solene contou também com o testemunho de uma mãe que foi atendida pelos profissionais do banco de leite. Mariana Camarati ressaltou que o serviço prestado vai muito além da oferta o alimento em si, com ensinamentos sobre a amamentação e cuidados com o corpo que foram muito úteis a ela.

“As orientações que recebi foram muito úteis, foi muito gratificante ser atendida por essas profissionais tão competentes. Consegui, inclusive, passar o que aprendi para uma prima que mora em Minas Gerais numa cidade que não há banco de leite, ajuda muito”, declarou Camarati.

Vianna entregou moções honrosas a todas as participantes do evento. A sessão solene teve transmissão ao vivo pela TV Câmara Distrital e pelo YouTube da Casa.

LEIA TAMBÉM

PD nas redes

FãsCurtir
SeguidoresSeguir
SeguidoresSeguir
InscritosInscrever