Cozinha: lugar de prazer e perigo

Print Friendly, PDF & Email

Por Rafaela Atta

Lugar de prazer, de criar memórias afetivas, mas também o mais perigoso de uma residência: assim é a cozinha! Fogão, forno, botijão de gás, comida quente. Tudo se torna uma ameaça se não houver cautela na hora de usar tantos itens imprescindíveis ao dia a dia. Com criança em casa, então, o cuidado deve ser redobrado!

Neste sentido, o presidente regional e chefe da Unidade de Queimados do Hospital Regional da Asa Norte (Hran), em Brasília, Ricardo de Lauro Machado Homem, elenca uma série de cuidados para prevenir acidentes com queimaduras na cozinha, mas em destaque estão não cozinhar com pressa, para prestar atenção às chamas acesas, panelas quentes, evitar de colocar toalhas grandes em locais com comida quente e experimentar a temperatura de mamadeiras e comidas antes de servir às crianças.

Publicidade

“Também é importante não tentar apagar com água fria o fogo em panelas de fritura, não fritar alimentos molhados em gordura quente e se uma panela quente cair, não tente segurar: saia de perto!”, complementa o médico.

Panelas de pressão

O vice-presidente da SBQ regional do Rio de Janeiro, Bruno Bianco de Carvalho, faz um alerta em relação às panelas de pressão. “Hoje em dia temos visto muitas queimaduras provocadas por líquidos pré-aquecidos devido à explosão de panela de pressão. Tomar cuidado, ver direitinho se as válvulas estão de forma adequada, limpá-las com uma certa frequência e tomar cuidado com o uso desse tipo de panela”, observa.

Na portaria Nº 499, divulgada no ano passado, o Inmetro aponta que as válvulas reguladoras de pressão da panela devem estar sempre limpas. A cada cinco anos, a peça deve ser substituída.

Recentemente, no Distrito Federal, pelo menos três acidentes com panela de pressão foram registrados em residência e estabelecimentos comerciais. Em um deles, a funcionária de um restaurante veio a óbito. Em outro, uma adolescente teve queimaduras no rosto e nos olhos ao abrir a panela com feijão.

Especialistas indicam que, quando o alimento estiver cozido, é preciso deixar a pressão sair da panela naturalmente. Levantar o pino ou colocar a panela debaixo de água não são ações recomendadas.

Gás de cozinha

Outro item preocupante na cozinha é o botijão de gás. Entre as orientações estão não instalar em locais fechados e sem ventilação, nem mesmo próximo ao fogão. Não deixa exposto ao sol e à chuva e comprar somente em revendas autorizadas.

As mangueiras do botijão também são itens que merecem atenção. De acordo com o Inmetro, as elas devem apresentar validade de cinco anos, a partir da data de fabricação, devido à possibilidade de ressecamento de alguns dos seus componentes. Na superfície da mangueira de gás e no verso do regulador constam as validades das respectivas peças.

Em caso de mau uso ou em condições desfavoráveis, os materiais podem apresentar desgastes ou vazamentos precoces antes da data de validade. As situações que contribuem para os danos à mangueira de gás são: mangueira dobrada ou excessivamente esticada; instalações por dentro do concreto; e ambientes expostos a excesso de calor, umidade, produtos corrosivos ou maresia.

A falta de gás de cozinha também tem provocado preocupação. Com o aumento do valor do item, muitas famílias têm usado outros meios, extremamente perigosos, para cozinhar.

“A gente percebeu incremento importante nos últimos meses por conta do preço do valor do gás, queimaduras por eranol aumentaram. Hoje, 30% da ocupação do centro de tratamento de queimados é de acidente por uso de álcool etanol ou combustível na cozinha”, conta o médico Marco Almeida, do CTQ Alfredo Gurgel, em Natal.

Para quem não tem condições de comprar o gás, ele recomenda o uso de fogão a lenha ou algo semelhante, por que a chance de acidente é menor. “O que não pode é acender lançando álcool líquido. Hoje tem dispositivo específico para acender fogo, churrasqueira, são pastilhas”, exemplifica.

Caso ocorra acidente com queimadura, a orientação é a mesma em qualquer caso: lavar com água corrente em temperatura ambiente, cobrir com pano limpo e levar à unidade de saúde mais próxima. Jamais usar pomadas, se automedicar ou usar receitas caseiras, como pó de café e clara de ovo. “Mesmo que a vítima se sinta bem, é importante levar para ma avaliação médica”, finaliza Marco Almeida.

Artigo anteriorMais de mil alunos da rede pública visitarão Feira do Livro
Próximo artigoPetrobras anuncia novo aumento de combustíveis