Chegada do frio demanda cuidados com a saúde

Proteção contra o frio, hidratação e vacinação são as principais dicas do especialista para evitar problemas de saúde mais graves
Print Friendly, PDF & Email

Temperaturas abaixo dos 10º C passaram a ser registradas no Distrito Federal e o frio indica cuidados necessários com a saúde, especialmente com crianças e idosos. Proteção contra o frio, hidratação e vacinação são as principais dicas do especialista para evitar problemas de saúde mais graves.

“Principalmente em Brasília, o tempo seco chega junto com o frio. Nessa época, aumenta nossa preocupação com as doenças respiratórias”, ressalta a a pediatra Julliana Macêdo. É a mesma fala da geriatra Larissa de Freitas. “Temos que manter alguns cuidados mínimos para que esta época não acabe gerando problemas para a população idosa”, acrescenta.

Seja para crianças ou para os iodos, o principal conselho é tomar a vacina contra a influenza. A população a partir dos 60 anos e crianças com idades até 4 anos, 11 meses e 29 dias estão entre os grupos prioritários da campanha de vacinação, e os imunizantes estão disponíveis na rede pública. A vacinação contra a covid também é fundamental, com duas doses para as crianças e quatro para os idosos.

Publicidade

Clique aqui para saber os locais de vacinação

Doenças respiratórias

O vírus influenza é causador da gripe, caracterizada por febre alta associada à coriza e tosse, dores musculares e de cabeça podendo evoluir para quadros graves como pneumonia. Já o resfriado comum é causado por outros vírus, como o rinovírus e o vírus sincicial respiratório (VSR), e envolve sintomas mais leves, como congestão nasal, coriza, febre baixa e dor de garganta.

Porém, mesmo o VSR pode levar a complicações em crianças. “Esse público estão com o sistema respiratório ainda em formação, pois se desenvolve até os 8 anos, e assim as crianças correm mais risco de complicações respiratórias”, detalha a pediatra Julliana Macêdo.

Os dias frios levam as pessoas a permanecerem mais em locais fechados, o que propicia o aumento da transmissão das doenças virais, inclusive a covid-19. Dicas de higiene e de etiqueta respiratória aprendidas durante a pandemia, como cuidado ao lavar as mãos, limpeza com álcool em gel, uso voluntário de máscaras por quem estiver com sintomas gripais e mesmo o isolamento ajudam a evitar a contaminação pelos vírus.

Exercícios, hidratação e vitamina D

Entre os idosos, há preocupações a mais. A geriatra Larissa de Freitas ressalta o aumento das reclamações de doenças osteoarticulares. “A atividade física quebra esse ciclo de imobilidade, então diminui as chances de dores. Quanto mais sedentário o idoso fica, piores as dores”, afirma. Atenção especial também com doenças cardiovasculares, pois temperaturas mais baixas causam a contração dos vasos sanguíneos, recomenda a médica.

A hidratação também é relevante no período. Além da ingestão de líquidos, “os banhos têm que ser rápidos e a temperatura da água precisa estar amena, morna”, detalha a geriatra. O consumo de vitamina D também é relevante, por isso é recomendado incluir na alimentação fígado, sardinha, gema de ovo e cogumelos.

Quando procurar um médico?

Em um período de tantas pessoas resfriadas, com rinite, gripes, doenças alérgicas, sinusites ou doenças mais graves, os casos leves devem ser atendidos nas Unidades Básicas de Saúde, os moderados nas Unidades de Pronto Atendimento e os graves nos hospitais. O Samu também está preparado para fazer o resgate em casos de urgência.

“Nós estamos alertas com as doenças respiratórias. Temos intensificado os cuidados e ampliado o atendimento, sobretudo com as crianças”, afirma o subsecretário de Atenção Integral à Saúde, Oronides Urbano Filho. “Já temos um aumento importante do número de casos de doenças respiratórias, principalmente entre as crianças”, completa.

Dicas de saúde para o período frio:

Limpar bem o ambiente
Evitar aglomerações e ambientes fechados
Lavar sempre as mãos
Cuidar da alimentação e da hidratação
Manter o cartão de vacinação em dia
Utilizar roupas e agasalhos adequados
Proteger as extremidades do corpo com tocas, luvas, mantas e outros acessórios
Praticar exercícios físicos
Ampliar o consumo de alimentos ricos em vitamina D
Hidratar-se com sopas, caldos e bebidas quentes
Hidratar a pele
Utilizar cobertores para reter calor durante o sono

Artigo anteriorMissão brasileira participa de assembleia da OMS na Suíça
Próximo artigoCovid-19: chega ao fim estado de emergência em saúde pública no Brasil