Saúde recebe 476 novos equipamentos em seis meses

Aquisições passam a integrar patrimônio de hospitais da rede pública e contribuem para melhorar o atendimento à população

Print Friendly, PDF & Email

O Governo do Distrito Federal (GDF), por meio da Secretaria de Saúde, adquiriu 476 novos equipamentos nos últimos seis meses. Nessa soma, há bens incorporados, já instalados e pagos, enviados para instalação, em fase de testes, entregues e pendentes de pagamento. Esses aparelhos passam a compor o patrimônio da rede pública de saúde.

Do total, 56 já foram transferidos para os hospitais de Apoio, Hran, HRBz, HRG, HRGU, Materno Infantil, HRL, HRPL, Hrsam, HRS e HRT, além do Laboratório Central

O secretário-adjunto de Gestão em Saúde, Jansen Roger Sousa, afirma que “são equipamentos que não eram comprados há muito tempo e extremamente necessários”. Do total, 56 já foram incorporados ao patrimônio da Secretaria e transferidos para os hospitais de Apoio, da Asa Norte (Hran), de Brazlândia (HRBraz), do Gama (HRG), do Guará (HRGU), Materno Infantil (Hmib), do Paranoá (HRL), de Planaltina (HRPL), de Samambaia (Hrsam), de Sobradinho (HRS) e de Taguatinga (HRT), além de fazer parte do material do Laboratório Central.

67 berços aquecidos entregues em sete hospitais | Foto: Sandro Araújo/Agência Saúde-DF

São 27 autoclaves, aparelhos para esterilizar materiais médico-hospitalares; 17 lavadoras termodesinfectadoras, também com o objetivo de esterilização; cinco agitadores mecânicos com suporte e haste; cinco baterias de placa aquecedora; e dois sistemas de cariotipagem humana.

Publicidade

Dos 420 restantes que ainda não foram incorporados ao patrimônio, 334 serão instalados e passam por testes

O secretário-adjunto ressalta que a vida útil de alguns equipamentos anteriormente em uso estava comprometida. “Eram autoclaves antigas e sem peças de reposição. Atualmente, temos contrato para o serviço de esterilização com empresa privada, mas não vamos dar seguimento, pois passaremos a fazer esse trabalho”, justifica.

Dos 420 restantes que ainda não foram incorporados ao patrimônio, 334 serão instalados e passam por testes. Segundo a Secretaria de Saúde, esse momento de testagem é importante para validar a eficiência e eficácia do material recebido. Após a certificação da qualidade, é providenciado o pagamento aos fornecedores.

Dos equipamentos que passam por essa validação, há 30 máquinas de ultrassons lotadas no Centro de Saúde da Mulher e em 11 hospitais: Materno Infantil, da Asa Norte, de Brazlândia, de Taguatinga, do Gama, do Guará, de Ceilândia, de Planaltina, do Paranoá, de Sobradinho e de Samambaia. Há também 54 aparelhos de fototerapia para o Hmib, HRG, Hospital Regional de Ceilândia (HRC), HRPL e HRSam.

Ainda constam 172 bombas de infusão (seringas) no Hmib e HRS; 67 berços aquecidos entregues em sete hospitais – Hmib, HRC, HRG, HRPL, HRT, HRS, HRSam –; cinco sistemas de vídeo portátil para endoscopia que estão em teste no Hran, no HRL, no HRT e no HRS; e seis detectores digitais plano de silício amorfo, no Hmib, no HRC, no HRS e no HRT.

Por fim, há 86 bens não incorporados, sendo 43 máquinas de hemodiálise e 43 purificadores de água por osmose reversa. Esses itens deverão passar pelo procedimento de teste no Hmib, Hran, HRBraz, HRC, HRG, HRGU, HRL, HRPL, HRS, HRSam e HRT.

Contrapartida

Outra forma de adquirir equipamentos é pelo método de contrapartida com instituições de ensino superior conveniadas com a Secretaria de Saúde. Esses órgãos utilizam os campos de estágio e cada aluno gera um valor hora-aula, que é revertido para a Secretaria de Saúde em forma de doação, serviços e materiais.

Há bens incorporados, já instalados e pagos, enviados para instalação, em fase de testes, entregues e pendentes de pagamento | Foto: Tony Winston/Agência Saúde-DF

Mais uma aquisição foi de kits de perfuradores elétricos. Os hospitais regionais do Gama, de Taguatinga, de Ceilândia, de Sobradinho, do Paranoá e de Planaltina recebem dois cada. Os materiais têm valor de R$ 760.396,44. Por sua vez, foram encaminhados dois de cada kit de perfurador pneumático para os hospitais regionais do Gama e de Planaltina, três para o de Ceilândia, quatro de cada para os hospitais de Sobradinho e do Paranoá, além de mais cinco para a unidade de saúde de Taguatinga. O valor dessas aquisições ficou em R$ 520 mil.

Esses perfuradores vão reduzir a fila de espera de cirurgias ortopédicas, destacou o secretário-adjunto. “O que estamos compramos vai atender as unidades que fazem cirurgia ortopédica e, assim, darmos vazão maior às filas”, explica Jansen Sousa.

A aquisição de 50 leitos, nos últimos seis meses, houve ainda a compra de 11 focos cirúrgicos, equipamento usado para iluminação para o Hospital Cidade do Sol, localizado na região administrativa do Sol Nascente. Houve ainda a compra de 11 focos cirúrgicos, equipamento usado para iluminação do paciente durante cirurgia.

FONTEAgência Brasília
Artigo anteriorIPTU 2022 começa a ser cobrado em maio
Próximo artigoEsperávamos que o IGESDF fosse mais eficiente, afirma Rafael Prudente