Aprovados no concurso da Saúde cobram nomeações durante ato no Buriti

Manifesto pacífico reivindicou que o GDF zere o cadastro reserva do certame para o cargo de administrador realizado em 2018

Print Friendly, PDF & Email

Por Caio Barbieri

Integrantes da comissão dos aprovados no concurso público de 2018, para o cargo de administrador da Secretaria de Saúde do Distrito Federal, realizaram um manifesto, na manhã desta quinta-feira (17/2), em frente ao Palácio do Buriti.

Os concursados reivindicavam ao governador Ibaneis Rocha (MDB) a nomeação dos mais de 700 aprovados que ainda aguardam a convocação no cadastro reserva.

Publicidade

Na última terça-feira (15/2), o titular do Palácio do Buriti publicou, nas redes sociais, a intenção do Governo do Distrito Federal (GDF) de zerar os cadastros de concursados aprovados de certames que ainda estão vigentes.

“Vamos continuar trabalhando para abrir mais vagas no serviço público e zerar os cadastros que estão aguardando convocações”, escreveu o emedebista.

“Vamos continuar trabalhando para abrir mais vagas no serviço público e zerar os cadastros que estão aguardando convocações”, escreveu o emedebista.

Segundo Mauro Gomes, que integra a comissão dos aprovados, são exatos 792 administradores à espera de nomeação.

“Viemos aqui no Buriti hoje mostrar ao Executivo a necessidade de se ter mais administradores na secretaria, o que, certamente, vai aprimorar a gestão. Esperamos que o governador seja sensível à nossa situação e perceba que os administradores são fundamentais para a saúde pública”, disse, durante o protesto.

Para o Sindicato de Funcionários em Estabelecimentos de Saúde (SindSaúde), a convocação dos servidores, especialmente no momento de pandemia, é mais do que necessário.

“O reforço de trabalhadores especializados será um auxílio grandioso para as equipes, mas também será muito bom para a população, tendo em vista que são profissionais com expertise em gestão e podem aprimorar os fluxos de serviços na secretaria”, disse a presidente da entidade, Marli Rodrigues.

FONTEMetropoles
Artigo anteriorÔnibus poderá deixar passageiro fora de paradas a partir de 21h no DF
Próximo artigoPessoas surdas devem ter acesso a call centers por chamadas de vídeo