Mesmo com avanço da Ômicron, DF não registrou óbitos por covid em 2022

Mortes confirmadas pela doença até esta quinta-feira (6) ocorreram em 2021

33
Print Friendly, PDF & Email

O Distrito Federal não registrou, até esta quinta-feira (6), óbitos em decorrência da covid-19 em 2022. Dados da Secretaria de Saúde revelam que, das oito mortes certificadas neste ano, todas ocorreram entre os meses de outubro e dezembro de 2021. Mesmo sem registros, a população deve manter os cuidados, utilizando máscara em ambientes fechados, higienizando as mãos com álcool 70% e procurando os pontos de vacinação para receber a primeira, segunda ou dose de reforço.

“Os óbitos são captados pelas equipes do Cievs, com informações da rede pública e privada”, explica a chefe do Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde do Distrito Federal (Cievs-DF), Priscilleyne Reis. Ainda segundo ela, “quando ocorre o óbito, há uma investigação para saber a causa, se foi por covid, ou não. Mesmo fazendo as captações diárias de óbitos, por vários meios, como nos prontuários da rede e no sistema de informação de mortalidade, estamos desde o dia 31 de dezembro de 2021 sem registrar a ocorrência de óbitos por covid”, afirma.

A investigação da ocorrência dos óbitos também é feita monitorando o histórico do paciente. Por exemplo: na declaração de óbito não foi notificada a morte por covid. No entanto, se esse indivíduo teve um exame positivo para covid-19 em um período de 15 ou 30 dias antes da morte, esse caso será investigado para ter a certeza se foi, ou não, provocada pela doença.

Publicidade

Óbitos ocorridos e registrados

Mesmo com a possibilidade de haver óbitos em investigação, é possível afirmar, neste momento, que o DF não teve mortes por covid-19 neste ano. A diferença entre as mortes ocorridas e registradas é a seguinte: ocorrido é o óbito que ocorreu no dia em que está sendo publicado no boletim diário, e o registrado é aquele que foi captado no dia, porém ocorreu anteriormente àquela data.

Mesmo sem registrar óbitos ocorridos em 2022, o número de casos de infecção pelo Sars-CoV-2 está aumentando. De acordo com o monitoramento do Cievs-DF, a variante Ômicron tem apresentado um perfil de aumento de transmissibilidade, mas não de gravidade.

FONTEAgência Saúde DF
Artigo anteriorMetrô-DF investe R$ 49 mi em modernização de sistema energético
Próximo artigoCNH vencida? Habilitações no DF devem ser renovadas até 31 de janeiro