Ação em restaurantes comunitários do DF possibilita a aplicação de mais de 2 mil doses de vacinas

População foi vacinada contra influenza e covid-19

Print Friendly, PDF & Email

A Secretaria de Saúde contabilizou 2.125 doses de vacinas aplicadas, neste sábado (18), como parte da ação Nosso Natal, nos restaurantes comunitários. Ao todo, foram 866 imunizações contra a influenza e 1.259 contra a covid-19, sendo 435 doses de reforço, 558 de segunda dose e 266 aplicações em pessoas que iniciaram o ciclo vacinal com a primeira dose.

“Esse esforço que fazemos é para aumentar a cobertura vacinal. Nós estamos indo onde as pessoas estão”, comentou o secretário de Saúde, general Manoel Pafiadache. A iniciativa do Governo do Distrito Federal de promover almoços comemorativos nos restaurantes comunitários foi também uma oportunidade para quem precisava colocar o cartão de vacina em dia. As equipes da saúde estiveram presentes nos restaurantes comunitários da Estrutural, Recanto das Emas, Samambaia, Santa Maria, Gama, Ceilândia, Brazlândia, Planaltina, Paranoá, Itapoã, São Sebastião e Sol Nascente.

Neste sábado, além da vacinação nos restaurantes comunitários, também funcionaram a UBS 2 da Asa Norte, a UBS 12 de Samambaia, a UBS 3 do Recanto das Emas e postos montados na Administração Regional de São Sebastião e no Galpão Comunitário do Riacho Fundo II. Ao todo, 3.924 se vacinaram neste sábado e o DF alcançou a marca de 4.678.352 vacinas aplicadas desde o início da campanha, em 19 de janeiro.

Publicidade

No domingo (19), o posto drive-thru na Praça dos Cristais funciona das 18h às 22h com o imunizante da Pfizer-BioNTech para primeira dose, segunda dose e dose de reforço. Já a UBS 12 de Samambaia também estará aberta no domingo, das 9h às 17h, para aplicar a segunda dose de AstraZeneca, CoronaVac e Pfizer-BioNTech, além da dose de reforço com Pfizer e Janssen.

FONTESecretaria de Saúde
Artigo anteriorÔmicron: Secretaria de Saúde do DF monitora viajantes de voo com origem de Cancun
Próximo artigoCantata de Natal emociona servidores e pacientes do Hospital Regional de Ceilândia