Presos escrevem carta para homenagear profissionais de saúde

Somente no mês de outubro, mais de mil atendimentos de saúde foram realizados na Penitenciária do Distrito Federal II (PDFII)

566
Print Friendly, PDF & Email

Movidos pelo espírito natalino e pelo sentimento de solidariedade que a época representa, custodiados da Penitenciária do Distrito Federal II (PDFII), localizada no Complexo Prisional da Papuda, em São Sebastião, resolveram expressar toda a gratidão e carinho junto à equipe de saúde que atua na unidade prisional.

De acordo com dados da Secretaria de Administração Penitenciária (Seape-DF), somente no mês de outubro, mais de mil atendimentos foram realizados com os reeducandos da PDFII.

Para o diretor da unidade, o policial penal Fábio Júnior dos Santos, o gesto dos reeducandos é reflexo da qualidade dos serviços prestados. “Tanto nós, da Polícia Penal, quanto os profissionais de saúde que aqui atuam, sempre procuramos fazer o melhor trabalho possível, garantindo a entrega de serviços da mais alta qualidade”, destaca o gestor.

Publicidade

Entre as especialidades oferecidas pela Gerência de Atendimento ao Interno (Geait), estão enfermagem, clínica médica, odontologia, psicologia/psiquiatria e assistência social. O trabalho é fruto da parceria entre a Seape e Secretaria de Saúde, que disponibiliza equipe multidisciplinar para atuar em todas as unidades prisionais.

Orientação

Além da parte médica, a Geait, rotineiramente, desenvolve palestras e acompanha grupos que têm como objetivo a conscientização dos reeducandos sobre os malefícios do uso de drogas e entorpecentes. Os profissionais também são responsáveis pela realização de atividades voltadas à prevenção de doenças sexualmente transmissíveis e ao HIV/Aids.

A equipe faz, ainda, o acompanhamento ambulatorial de presos acometidos por doenças crônicas como hipertensão, hepatite, tuberculose e diabetes.

Segurança máxima

As Penitenciárias do Distrito Federal I e II (PDFs I e II) são unidades de segurança máxima do sistema penitenciário local. O espaço é destinado a custodiar pessoas privadas de liberdade, do sexo masculino, que cumprem pena em regime fechado.

FONTEAgência Brasília
Artigo anteriorGDF contrata 966 agentes e reforça combate à dengue
Próximo artigoSeis passageiros do mesmo voo dos casos Ômicron testam negativo para Covid-19