“Dignidade Feminina” já arrecadou 150 mil absorventes para meninas e mulheres em vulnerabilidade

Ação promovida por oito secretarias do GDF vai ajudar estudantes em situação de vulnerabilidade

41
Print Friendly, PDF & Email

Em apenas um mês, a campanha “Dignidade Feminina – Da transformação de meninas a mulheres: mais cidadania e menos tabu”, sob coordenação da Secretaria de Justiça e Cidadania em parceria com setes outras secretarias do GDF, conseguiu arrecadar 150 mil unidades de absorventes para serem disponibilizadas para estudantes em situação de vulnerabilidade que integram a rede pública do Distrito Federal.

“Essa campanha é muito importante para a vida de tantas adolescentes no Distrito Federal que não têm acesso a um absorvente”

Marcela Passamani, secretária de Justiça e Cidadania

“Essa campanha é muito importante para a vida de tantas adolescentes no Distrito Federal que não têm acesso a um absorvente”, revelou a secretária de Justiça e Cidadania, Marcela Passamani.

Publicidade

De acordo com a chefe da pasta, o número possibilita que a campanha atenda 5 mil meninas das escolas públicas em período menstrual. Cada uma deve receber 3 pacotes com 10 unidades. A quantidade foi atingida após a doação de 100 mil unidades pela empresa Sustentare Saneamento.

A contribuição foi entregue em solenidade nesta quinta-feira (18), no Salão Israel Pinheiro, no Palácio do Buriti. Estiveram presentes as secretárias Marcela Passamani (Justiça e Cidadania), Hélvia Paranaguá (Educação), Gisele Ferreira (Esporte e Lazer), Vanessa Mendonça (Turismo) e Luana Machado (Juventude), que assinaram o termo de doação junto a Rejane Costa, superintendente regional da empresa Sustentare Saneamento.

“É tão bom ver que o sonho se tornou realidade. Já imagino como será levar (os absorventes) nas escolas para as meninas. Olho para esses pacotes e já vejo os sorrisos delas”, destacou a secretária de Educação, Hélvia Paranaguá. Ela lembrou que uma em cada quatro meninas falta às aulas durante a menstruação, uma grande porcentagem delas pela ausência do item higiênico.

A carência de absorventes faz com que muitas meninas e mulheres tenham que buscar alternativas perigosas, como o uso de papelão, jornal, miolo de pão e retalhos no local do item. Descobrir essa triste realidade foi o que incentivou Rejane Costa, da Sustentare, a se engajar na campanha do GDF. “Essa informação foi predominante para fazermos essa doação. Esse é um passo importante para levar conforto e autoestima para essas meninas que acabam recorrendo a alternativas arriscadas”, definiu.

Palestras

A campanha Dignidade Feminina é encabeçada pela Sejus, mas conta com apoio da Secretaria de Saúde e de todas as secretarias chefiadas por mulheres, como Educação, Esporte e Lazer, Juventude, Turismo, Mulher e Desenvolvimento Social. O trabalho ocorre em rede.

“Esse é um programa de união de todas as mulheres [do GDF], num tema que une a todos nós. Estamos conseguindo vencer essa barreira justamente para dar dignidade para essas meninas”, comentou Gisele Ferreira, secretária de Esporte e Lazer.

Além das doações de absorventes, a ação conta com palestras e bate-papo em escolas para levar informação aos estudantes. Já receberam a programação unidades do Recanto das Emas e de Planaltina.

“Quando a gente leva o absorvente e a informação a essas meninas, que muitas das vezes não têm na estrutura familiar com quem possam falar sobre o assunto, estamos trazendo pertencimento e igualdade de gênero, que todas nós, mulheres que estamos em espaço de poder, queremos”, lembrou a secretária Marcela. Ela citou que, ao perder as aulas no período menstrual, as meninas já sentem a desigualdade de gênero desde cedo.

O objetivo agora é arrecadar mais doações. A expectativa é intensificar as ações e atender ainda mais adolescentes. Para doar, basta acessar o site http://dignidadefeminina.sejus.df.gov.br e conferir os pontos de coleta.

FONTEAgência Brasília
Artigo anteriorSTF julga inconstitucional concessão de desconto geral em mensalidade de universidades privadas na pandemia
Próximo artigoCom avanço da vacinação, brasilienses devem ter mais segurança para as festas de fim de ano