Sindate-DF comemora mudança de nomenclatura de auxiliar para técnico em enfermagem

375
Print Friendly, PDF & Email

Em janeiro deste ano, a carreira de Técnico em Enfermagem foi criada por meio da lei nº 6.790/2021 de autoria do deputado distrital Jorge Vianna (Podemos). Dentre todas as vantagens que a carreira específica pode trazer para o servidor, uma delas é a mudança de nomenclatura nos contracheques e em novos crachás funcionais.

A luta para conseguir essa alteração é uma demanda antiga do Sindate e uma promessa de campanha do deputado Jorge Vianna.

Você pode relembrar nesta matéria de 2014, clique aqui.

Publicidade

Vianna relata que se sente realizado com essa conquista: “ É um sonho realizado e uma promessa cumprida. Um dos principais motivos de eu ser eleito foi ajudar a categoria nesse ponto, já que era o sonho de muitas pessoas. Muita gente sonhava em ter no seu contracheque e no crachá o nome de Técnico em Enfermagem, no qual ele se formou. Eu estou muito feliz e orgulhoso.”

O diretor do Sindate Newton Batista também comemora: “É uma conquista histórica para todos os Auxiliares, que embora para alguns não pareça muito, é um forte avanço na carreira que começamos a construir.”

O presidente do Sindate João Cardoso destaca que a mudança de nomenclatura é uma das maiores vitórias dos últimos anos: ” Até que enfim depois de muito trabalho de toda a diretoria do Sindate conseguimos a mudança de nomenclatura. Essa alteração conserta uma injustiça que os Técnicos em Enfermagem sofreram, já que desempenhavam funções de Técnicos e eram reconhecidos apenas como Auxiliares. É uma grande vitória da categoria!”

Por ora, o novo nome de cargo estará presente nos contracheques e em novos crachás confeccionados, porém o Sindate vai solicitar ao deputado Jorge Vianna uma emenda para que todos os servidores tenham os seus crachás renovados.

FONTESindate-DF
Artigo anteriorConcurso Público: Ibaneis dá posse a 113 novos servidores de três secretarias
Próximo artigoPopulação adulta deve estar 100% vacinada até outubro, diz Queiroga