Randolfe: governo ignorava a Pfizer, mas tratava com Reverendo

69
Print Friendly, PDF & Email

Por Kleber Karpov

Em entrevista coletiva após o depoimento do reverendo reverendo Amilton Gomes de Paula, que atuou como intermediário, por meio da ong Secretaria Nacional de Assuntos Humanitários (SENAH), em negociação de vacinas pelo Ministério da Saúde. O senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) classificou a situação como tragicômica.

Rodrigues observou que no auge da pandemia no Brasil, o governo Bolsonaro seguia a ignorar as tentativas do laboratório Pfizer de vender vacinas anticovid, mas dava ouvidos a Amilton por meio da SENAH, e a empresas como a Davati, que se apresentavam como intermediárias de vacinas. Para Randolfe, é preciso buscar quem abriu as portas do Ministério da Saúde a esses negociadores.

Publicidade

 

VIAAgência Senado
Artigo anteriorMPDFT e PCDF investigam caso de helicóptero apreendido com cocaína, em nome de policial civil do DF
Próximo artigoCovid-19: DF começa a agendar vacinação de adolescentes