MPDFT e PCDF investigam caso de helicóptero apreendido com cocaína, em nome de policial civil do DF

Aeronave em nome de um policial civil do DF foi encontrada em fazenda do Mato Grosso com cerca de 300kg de cocaína

209
Print Friendly, PDF & Email

Por Kleber Karpov

O Núcleo de Investigação e Controle Externo da Atividade Policial (NCAP), do Ministério Público do Distrito Federal (MPDFT) e a Polícia Civl do DF (PCDF), abriram investigação para apurar a queda de um helicóptero, encontrado pela Polícia Federal (PF), com cerca de 300 kg de cocaína no município de Poconé (MT) no domingo (1º/Ago). Segundo registros da Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC), a aeronave está no nome de um policial civil do DF. 

O helicóptero, modelo Robinson R-44, matrícula PT-RMM, estava parcialmente destruído, porém sem sinais de pessoas feridas. Na ocasião em que foi encontrado, a PF realizava monitoramento de uma suposta situação de tráfico internacional de drogas. A Polícia Federal contou contou com suporte de agentes do Cento Integrado de Operações Aéreas (CIOPAer)  e do Grupo Especial de Fronteira (Gefron), ambos vinculados a Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública do Mato Grosso (SEJUSP-MT).

Publicidade

Agente da PCDF

Em entrevista concedida à imprensa, o papiloscopista da PCDF, Ronney José Barbosa Sampaio, proprietário da aeronave junto a ANAC, informou que vendeu o helicóptero, em maio, porém o comprador deixou de efetivar a transferência. “Eu tenho todos os documentos da venda do helicóptero, fiz a transferência da minha parte. Mas esse processo é igual quando vende um carro. Se o comprador não for lá e fizer a transferência para ele também, ele continua no meu nome”, disse à imprensa.

O policial alega ter vendido o helicóptero, em maio desse ano, por falta de recursos para pagar Certificado de Verificação de Aeronavegabilidade (CVA). Segundo o policial, o custo da renovação equivale a US$ 217 mil (cerca de R$ 1,14 milhão). “Eu comprei ele [o helicóptero] tem um ano mais ou menos. Mas como eu não tinha dinheiro pra arrumar o documento dele, eu vendi. O recibo da venda do helicóptero foi feito em 25 de maio deste ano”, diz o policial civil.

Investigação

O MPDFT por sua vez, deve conduzir investigação para verificar eventual participação do agente de segurança no que foi configurado como tráfico internacional, por parte da PF.

O Helicóptero de mesmo modelo é avaliado em R$ 450 mil. Segundo o Portal da Transparência do Governo do Distrito Federal (GDF), a última remuneração do policial civil, em junho foi de R$ 19.746,02 e o salário médio do agente é de cerca de R$ 12 mil.

Artigo anteriorSTF mantém condenação de José Roberto Arruda, ex-governador do DF, por falsidade ideológica
Próximo artigoRandolfe: governo ignorava a Pfizer, mas tratava com Reverendo