HMIB restringe atendimentos parcialmente após surto de bactéria multirresistente em bebês

Seis recém-nascidos foram contaminados por bactéria. Segundo Secretaria de Saúde, restrição vale para internação de gestantes com perfil que indique necessidade de assistência na UTI Neonatal; atendimento de emergência segue normal.

143
HMIB superlotação

Print Friendly, PDF & Email

Por Pedro Alves

A Secretaria de Saúde do Distrito Federal (SES-DF) informou, nesta terça-feira (20), que restringiu parcialmente o atendimento no Hospital Materno Infantil de Brasília (Hmib), após um surto de uma bactéria multirresistente. De 25 bebês internados na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) Neonatal, seis foram diagnosticados com o problema.

De acordo com a pasta, a restrição vale apenas para “a internação de gestantes cujo perfil caracterize necessidade de assistência na UTI Neonatal”. Segundo a SES-DF, as pacientes recebidas na emergência da unidade “continuam sendo atendidas normalmente”.

Publicidade

“Em casos onde apenas o Hmib é referência na rede, foi mantida a internação normalmente, como nos casos em que os recém-nascidos necessitam de assistência cirúrgica, imediatamente após o nascimento”, afirma a secretaria.
A pasta não informou o nome da bactéria que contaminou as crianças. Segundo a SES-DF, o primeiro caso foi registrado em 8 de julho e a Comissão de Infecção Hospitalar foi imediatamente acionada.

“Foram tomadas todas as medidas de controle interno, coordenadas pela Comissão de Infecção Hospitalar”, diz a Secretaria de Saúde.

Segundo a pasta, após a detecção das primeiras contaminações, “foi montado um sistema de vigilância regular e novos casos não foram registrados”. Os 25 leitos da UTI neonatal do HMIB são destinados a recém-nascidos que demandam cuidados especiais.

FONTEG1 DF
Artigo anteriorDF registra quase 1,3 mil acidentes com animais peçonhentos no DF
Próximo artigoDF ultrapassa marca de 9,5 mil mortes por Covid-19