Coronavírus: Embaixador da China anuncia liberação de novos lotes de IFA para produção de 16,6 milhões de vacina

Anúncio foi realizado por Yang Wanming, embaixador da China no Brasil, após reunião com Fórum dos Governadores 

40
Print Friendly, PDF & Email

Por Kleber Karpov

Na tarde desta quinta-feira (20/Mai), o embaixador da China, no Brasil, Yang Wanming, publicou no microblog Twitter, o anúncio da liberação de novos lotes de Ingrediente Farmacêutico Ativo (IFA). Segundo o diplomada, o insumo permite a produção de 16,6 milhões de doses de vacina da Coronavac e Vacina AstraZeneca, para imunização contra o coronavírus.

O anúncio de Wanming ocorreu após conversação com o Fórum dos Governadores. Pelo Twitter, o embaixador se posicionou comprometido com o povo brasileiro. “Na conversa com o Fórum dos Governadores informei a liberação dos novos lotes de IFA pra produzir no total 16. 6 milhões de doses da Coronavac e Vacina AstraZeneca, que chegarão noBandeira do Brasil nos próximos dias. A Bandeira da China, fraterna com o povo brasileiro, está comprometida em parceria de vacinas.”.

Publicidade

Posição essa, do embaixador, que também ocorrer após o governo chinês exigir retratação por parte do brasileiro, em decorrência de ataques recentes, por parte do presidente, Jair Bolsonaro (Sem Partido). O chefe do Executivo do Brasil, em manifestações recentes, ainda sem citar nome, fez alusão ao parceiro asiático sobre hipotética “guerra química” ao se referir a origem da pandemia do coronavírus.  Outras provocações partiram, há cerca de um mês, por parte do filho, Eduardo Bolsonaro (PSL-RJ) e também do ministro da Economia, Paulo Guedes.

Situação que se amenizou, após intervenção do ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, em reunião na sexta-feira (7/Mai), com o embaixador da China, que tentou descolar a China da declaração de Bolsonaro e reconhecer a importância do governo chinês, para o Brasil, no combate a Covid-19. “Essas declarações do presidente Bolsonaro não envolvem a China, e o presidente Bolsonaro tem atuado fortemente para incentivar a campanha de vacinação”, disse Queiroga.

Outra manifestação recente, ocorreu, nesta quinta-feira (20/Mai), por parte da ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tereza Cristina, ao reconhecer, durante videoconferência do Seminário Brasil-China.

Tereza Cristina ponderar sobre a importância do gigante asiático como parceiro comercial com o Brasil, fruto de uma longa parceria no agronegócio. A ministra acrescentou que os dois países construíram “uma relação de confiança na entrega perene, com qualidade, inocuidade e sustentabilidade”, e que há condições de se ampliar e diversificar a oferta de produtos brasileiros para consumo da população chinesa.

Artigo anteriorCaixa paga auxílio emergencial a nascidos em abril
Próximo artigoIbaneis nomeia 437 servidores para Educação do DF