Sírio-Libanês e DF Star passam a atender o plano GDF Saúde

Beneficiários têm à disposição rede credenciada com sete hospitais gerais, 12 hospitais especializados, quatro laboratórios e quase duas mil clínicas

351
Print Friendly, PDF & Email

A partir desta semana, os hospitais Sírio-Libanês e DF Star passam a atender os beneficiários do GDF Saúde, plano de saúde dos servidores do Governo do Distrito Federal. O anúncio foi feito pelo presidente do Instituto de Assistência à Saúde dos Servidores do Distrito Federal (Inas), Ney Ferraz.

Mais de 20 mil servidores já aderiram ao plano e está em curso a adesão da Polícia Civil

“São dois hospitais de referência que passam a fazer parte do GDF Saúde. Os contratos estão assinados. No Sírio-Libanês, os beneficiários do GDF Saúde podem dispor de consultas nos ambulatórios da 613 Sul e do Lago Sul, além dos serviços de radiologia e exames por imagem. Já no DF Star, estão à disposição dos beneficiários atendimentos na área de Oncologia, realizados pelo Instituto Brasiliense de Oncologia Clínica”, informa Ney Ferraz.

Atualmente, o GDF Saúde já dispõe de uma rede credenciada composta por sete hospitais gerais, 12 hospitais especializados, quatro laboratórios e quase duas mil clínicas.

Publicidade

Ney Ferraz explica que, em junho do ano passado, em meio à pandemia do coronavírus, recebeu do governador Ibaneis Rocha a missão de tornar realidade o plano de saúde dos servidores públicos do Distrito Federal e, com isso, ajudar a salvar vidas. “As ordens foram claras e objetivas: atender a uma antiga reivindicação dos servidores, ampliar a oferta de serviços de saúde e desafogar o Sistema Único de Saúde (SUS). Hoje, passados seis meses após o lançamento do plano e graças a uma bem-sucedida parceria com o BRB, o GDF Saúde é uma realidade”, afirmou.

Mais de 20 mil servidores já aderiram ao plano e está em curso a adesão da Polícia Civil. “Nesse período, já superamos a marca de mais de 5 mil consultas ambulatoriais, de mais de 3 mil consultas de emergência, de mais de 46 mil exames e de mais de 300 internações”, revela.

FONTEAgência Brasília
Artigo anteriorProjeto permite caracterizar Covid como doença ocupacional
Próximo artigoAgendamento da vacinação para forças de segurança começa na segunda (19)