Partidos indicam membros para CPI da Covid-19

O presidente do Senado explicou que a leitura dos nomes indicados para compor a CPI — e consequente eleição do presidente do colegiado — deve ser feita no Plenário

45
Print Friendly, PDF & Email

Os blocos partidários do Senado apresentaram os nomes dos senadores indicados para compor a CPI da Covid. As indicações ainda precisam ser lidas em Plenário para serem confirmadas (e podem ser alteradas até que seja feita a leitura).

O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, já pode marcar uma data para a primeira reunião da CPI, quando serão escolhidos, entre os membros titulares, o presidente e o relator da comissão. Esse encontro será presencial, mas a partir daí a comissão poderá definir o formato dos seus trabalhos.

Os indicados são os seguintes senadores: 

Publicidade

Titulares

  • Eduardo Braga (MDB-AM)
  •  Renan Calheiros (MDB-AL)
  • Ciro Nogueira (PP-PI)
  • Omar Aziz (PSD-AM)
  • Otto Alencar (PSD-BA)
  • Tasso Jereissati (PSDB-CE)
  • Eduardo Girão (Podemos-CE)
  • Marcos Rogério (DEM-RO)
  • Jorginho Mello (PL-SC)
  • Humberto Costa (PT-PE)
  •  Randolfe Rodrigues (Rede-AP)

Suplentes

  • Jader Barbalho (MDB-PA)
  • Luis Carlos Heinze (PP-RS)
  • Angelo Coronel (PSD-BA)
  • Marcos do Val (Podemos-ES)
  • Zequinha Marinho (PSC-PA)
  • Rogério Carvalho (PT-SE)
  • Alessandro Vieira (Cidadania-SE)

Reunião Presencial

Logo após a sessão deliberativa desta quarta-feira (14), o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, disse, em entrevista, que definirá em breve a data de instalação da CPI da Covid. Segundo ele, a primeira reunião terá que ser presencial, para eleição do presidente do colegiado, mas deverá seguir todos os protocolos sanitários.

Como todos os partidos e blocos partidários já enviaram à Mesa do Senado os nomes dos senadores que vão integrar a CPI, falta agora a leitura dessa composição em sessão do Plenário para que ela se torne oficial, o que deve ocorrer nos próximos dias. Até essa leitura, as indicações podem ser alteradas pelos líderes.

— Nós agora temos esse passo que é o da indicação por partes de todos os partidos e blocos partidários dos membros da comissão parlamentar de inquérito. Agora a Presidência do Senado vai determinar a data da instalação da comissão parlamentar de inquérito, uma instalação presencial, em razão da eleição do presidente, que é preciso ser presencial e, logo na sequência, a definição de um relator.

O presidente do Senado disse ainda que, depois de a comissão ter presidente, vice e relator, caberá aos próprios membros do colegiado definir como serão os trabalhos: se haverá reuniões presenciais, remotas ou semipresenciais e demais definições de procedimentos.

— O presidente da CPI junto com o relator e demais membros definirão, dentro da regra do funcionamento presencial, quais atos podem ser praticados pelo sistema remoto, sistema virtual, e, com isso, garantir que a CPI funcione normalmente. Essa é a lógica que tem que se implementar nesse momento e, por parte da Presidência [do Senado], nós daremos todos os instrumentos necessários para o funcionamento pleno da comissão parlamentar de inquérito — explicou.

FONTEAgência Senado
Artigo anteriorEstudo da UnB investiga cepas do novo coronavírus encontradas no DF
Próximo artigoAgência do Trabalhador oferece 130 vagas com salários que chegam a R$ 1,9 mil