IGESDF esclarece modelo de gestão ao Ministério Público

Nova diretora do instituto presta informações sobre as medidas que estão sendo escutadas para melhorar o atendimento ao público

47
Print Friendly, PDF & Email

Por Ailane Silva

A nova presidência do Instituto de Gestão Estratégica de Saúde do Distrito Federal (Iges-DF) realizou, nesta quarta-feira (14), a terceira reunião online com promotores de Justiça de Defesa da Saúde (Prosus) do Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT), para tratar dos planos que vêm sendo adotados para aprimorar os serviços prestados pelas oito unidades administradas pela instituição.

Cumprindo com o compromisso de aumentar a transparência da gestão, o primeiro encontro ocorreu no fim de março para prestar informações sobre alguns serviços oferecidos, como o de oncologia. Desta vez, foram apresentados planos administrativos e financeiros que vêm sendo executados.

Publicidade

Entre as novas medidas estão a reestruturação organizacional do instituto, que contempla a elaboração de um plano de cargos e salário, e o novo regimento interno.  “Temos que atuar como empresa privada procurando redução de custos, otimizando”, ressaltou o presidente do Iges-DF, Gilberto Occhi, empossado no mês passado. “Estamos elaborando um estudo para redimensionar e otimizar os custos, para chegarmos a um número realista sobre a necessidade de cada área”.

Occhi informou que o instituto possui atualmente cerca de 2,4 mil servidores estatutários cedidos pela Secretaria de Saúde e 6,2 mil colaboradores celetistas. “Estamos estabelecendo um processo de admissão de pessoal que tem que respeitar pré-requisitos mínimos e, caso o colaborador venha a assumir um cargo de gestor, será feito processo seletivo interno”,  detalhou.

“Vamos dialogar sempre e espero contar muito com a sua colaboração para que o Ministério Público contribua da melhor forma possível, fazendo os alinhamentos necessários para melhorar os serviços de saúde”, agradeceu  Clayton Germano, um dos promotores do MPDFT.

Na pauta das próximas reuniões online estarão temas como gestão de pessoal, compliance e oncologia.

Artigo anteriorIGESDF pode ampliar número de estagiários no combate à covid
Próximo artigoCovid-19: número de mortes sobe para 361,8 mil no Brasil