Projeto Humanizar pode ser transformado em programa permanente no DF

Primeira-dama discute proposta com o presidente do Iges-DF para que unidades de saúde tenham a iniciativa definitiva

91
Print Friendly, PDF & Email

Por Ailane Silva

O Projeto Humanizar pode ser transformado em um programa permanente para aprimorar a qualidade do atendimento em todas as oito unidades administradas pelo Instituto de Gestão Estratégica de Saúde (Iges-DF). A proposta foi apresentada nesta quinta-feira (8) pela primeira-dama Mayara Noronha Rocha ao presidente do Iges, Gilberto Occhi.

Atual secretária de Desenvolvimento Social, Mayara Rocha é madrinha do projeto, que foi implementado em novembro de 2019. A ação acompanha as diretrizes estabelecidas pela Política Nacional de Humanização (PNH) do Ministério da Saúde. A proposta é humanizar ambientes hospitalares por meio de um modelo de atendimento qualificado, acolhedor e confiável aos pacientes e visitantes.

Publicidade

Os colaboradores do Humanizar atuam na recepção e nas emergências do Hospital de Base, do Hospital Regional de Santa Maria (HRSM) e das seis unidades de pronto atendimento (UPAs). São eles que recepcionam e orientam inicialmente os pacientes e familiares. Ajudam também a atenuar o sofrimento de quem chega desesperado em busca de auxílio médico.

A primeira-dama é admiradora desse modelo de atenção em unidades públicas. “Fui tratada com muita frieza quando estava com meu filho, com apenas 1 mês de vida, em um hospital particular”, relatou. “Desde então, vi a importância de uma ação para amenizar o sofrimento de quem vai ao hospital, que precisa ser ouvido e direcionado. Por isso, quero aperfeiçoar essa iniciativa e torná-la definitiva”, ressaltou.

O presidente do Iges-DF reforçou que o Projeto Humanizar faz a diferença no atendimento, porque trata com respeito as pessoas que chegam em busca de ajuda. “Muitas vezes, o usuário não sabe para onde ir, principalmente no Hospital de Base, que é muito grande”, disse.

Estudos em andamento

Os estudos para transformar o Humanizar em um programa permanente estão em andamento sob coordenação da diretora de Inovação, Ensino e Pesquisa (Diep) do Iges-DF, Emanuella Ferraz, e da chefe da Assessoria Jurídica, Patrícia Paim, que participaram da reunião. “Estamos com todo o planejamento em andamento para que em breve a mudança seja feita”, disse Emanuella.

A primeira-dama apresentou ainda um projeto para que a Ala Psiquiátrica do Hospital de Base seja revitalizada por voluntários de paisagismo, que querem construir uma área verde no local. A proposta foi bem acolhida pelo presidente do Iges. Occhi sinalizou para a possibilidade de um termo de cooperação entre o instituto e o grupo de paisagismo.

Ações para famílias de baixa renda

Já a superintendente Pré-Hospitalar do Iges, Nadja Vieira, solicitou à secretária a adoção de medidas que beneficiem famílias de pacientes de baixa renda internados nas UPAs. “É doloroso ver pessoas pedindo ajuda porque o parente está internado com coronavírus e a família está passando dificuldade”, ressaltou Nadja, sugerindo que seja feita campanha para arrecadar alimentos para as famílias mais necessitadas.

A primeira-dama lembrou que, na última terça-feira (6), o Governo do DF lançou a campanha “Solidariedade Salva”, que objetiva arrecadar cestas básicas em todos os pontos de vacinação contra a covid-19. Os alimentos serão doados às famílias de baixa renda que estão sofrendo os efeitos da pandemia.

Artigo anteriorGDF deve realizar processo seletivo para contratar 250 profissionais da saúde
Próximo artigoServidores que atendem população em situação de rua pedem vacinação ao GDF