Hospital do Guará humaniza atendimento com prontuário afetivo

Além do quadro clínico de cada paciente, no leito são inseridas informações sobre gêneros musicais e hobbys

79
Print Friendly, PDF & Email

Além dos cuidados clínicos que os pacientes do Hospital Regional do Guará recebem diariamente das equipes multiprofissionais, eles agora contam com um atendimento mais humanizado durante a internação. Nos leitos, além das informações sobre a evolução de cada caso, as características pessoais, gênero musical favorito, time do coração e atividades de lazer que cada paciente gosta são identificadas nos leitos da unidade.

Iniciamos a implementação do prontuário afetivo priorizando os pacientes intubados sob efeito de sedação. A resposta da equipe foi imediata e gerou uma comoção e emoção fantásticaenfermeira Domitília Bonfim

“Iniciamos a implementação do prontuário afetivo priorizando os pacientes intubados sob efeito de sedação. A resposta da equipe foi imediata e gerou uma comoção e emoção fantástica”, explica a enfermeira Domitília Bonfim de Macedo Mihaliuc, responsável por implementar a novidade no HRGu. Ela considera, ainda, que “cuidar do paciente olhando para o prontuário afetivo, suas características, personalidades qualificam o cuidado que o torna mais humanizado”.

O prontuário afetivo foi implementado no HRGu começando pela enfermaria covid-19. A iniciativa foi implementada e muito bem recebida pela equipe médica, de enfermagem, fisioterapia e demais profissionais que atuam no local. O hospital possui 16 leitos de enfermaria covid.

Publicidade

Para a técnica de enfermagem, Maria de Jesus Neves, a novidade permite que a equipe tenha um contato mais próximo com o paciente sabendo suas preferências e particularidades. “Essas informações são passadas pelos familiares em relação aos cuidados ao banho no leito, se gosta de usar creme hidratante, se gosta de unha pintada, do tipo de música. Isso melhora a autoestima tanto do paciente quanto da gente e torna o ambiente mais agradável”, ressalta.

Integrante da equipe de enfermagem, a enfermeira Geisa Siqueira, conta que a implementação do prontuário “foi uma emoção muito grande para toda a equipe”. Como os pacientes têm passado muito tempo internados e sem contato com seus familiares, ela considera que a iniciativa motiva a equipe a preencher o vazio trazido pela saudade.

“Esse prontuário faz com que a gente se identifique mais e consiga ver que todo paciente é o amor de alguém e isso nos motiva a lutar mais ainda. Sinto um grande orgulho e satisfação de estar diante dessa luta contra a Covid-19”, finaliza.

FONTEAgência Brasília
Artigo anteriorGoverno defende nova suspensão de reajuste em planos de saúde
Próximo artigoAutomutilação: saiba onde procurar ajuda profissional