Controlador do IGESDF dobra próprio salário para R$ 26 mil e é exonerado

Além do próprio vencimento, Bruno Lago também assinou documento para ajustar remuneração e cargos de 12 funcionários

194
Print Friendly, PDF & Email

Por Lilian Tahan e Manoela Ancântara

Em meio a trocas de comando e a uma crise financeira no Instituto de Gestão Estratégica de Saúde do Distrito Federal (Iges-DF), documento ao qual o Metrópoles teve acesso mostra que o então controlador interno do órgão, Bruno Araújo Beserra Lago (foto em destaque), determinou mudança em sua própria remuneração que repercutiu em aumento de quase 100%.

O ato oficial assinado por Bruno Lago fez a remuneração mensal dele saltar de R$ 13.647,17 para R$ 26.471,00.

Veja o documento assinado por Lago:

O valor turbinado é maior do que os R$ 18.038,12 recebidos pelo titular da Saúde do DF, Osnei Okumoto, e pelos demais secretários do GDF.

O encaminhamento para a autopromoção foi publicado no Boletim de Atos Oficiais do Iges-DF, em 12 de fevereiro. Bruno Lago assina o documento. Na ocasião, o controlador também reajustou os salários de 12 funcionários. Em alguns casos, os valores saltaram de R$ 8.664,80 para R$ 17.010,66, aumento de 96,2%.

Bruno Beserra Lago teve a expectativa de ver os R$ 26,4 mil entrarem na conta por apenas sete dias. Ele não chegou a receber a quantia, pois o aumento do então controlador e dos outros colegas foi vetado pelo Conselho de Administração do Iges-DF, e Bruno acabou sendo exonerado do instituto.

O colegiado é formado por Osnei Okumoto; pelo diretor-presidente interino do Iges, Marcelo Oliveira; pela vice-presidente, Mariela Souza; pela diretora de Inovação, Ensino e Pesquisa, Emanuela Dourado Ferraz; e pelo diretor de Atenção à Saúde, Jair Tabchoury Filho.