Serviços estratégicos no Hospital de Base serão priorizados

Secretário Osnei Okumoto destaca a importância da oncologia e da hemodinâmica dentro da unidade hospitalar

114
Print Friendly, PDF & Email

O secretário de Saúde do DF, Osnei Okumoto, disse nesta segunda-feira (8) que quer que o Hospital de Base (HB) concentre todos os esforços nas áreas mais sensíveis da unidade, como a oncologia e a hemodinâmica. A afirmação foi feita durante visita à unidade, que é administrada pelo Instituto de Gestão Estratégica de Saúde do DF (Iges-DF).

“Temos muito a avançar com o Iges para dar as respostas que a população precisa”, defendeu. “Para o Hospital de Base, queremos uma nova proposta, um novo caminhar. Tenho conhecimento da grande importância desse hospital de alta complexidade em todo o processo de fluxo de atendimento do DF”.

A hemodinâmica é uma especialidade da medicina que diagnostica e trata doenças em diversas áreas como a neurologia, a cirurgia endovascular e, principalmente, a cardiologia. Em 2020, apenas em uma força-tarefa de cirurgias no HB, 220 pacientes de hemodinâmica foram beneficiados.

Já a oncologia atua no tratamento do câncer e o HB é referência nesse atendimento, oferecendo ao paciente desde a primeira consulta com o oncologista até radioterapia, quimioterapia, entre outros tratamentos. Mensalmente, a unidade realiza uma média de 1,8 mil consultas oncológicas e mil sessões de quimioterapia.

Para o Hospital de Base, queremos uma nova proposta, um novo caminharOsnei Okumoto, secretário de Saúde

O secretário estava acompanhado da secretária-adjunta do gabinete, Beatris Gautério de Lima, e o secretário de Assistência à Saúde, Petrus Leonardo Barron Sanchez, além de subsecretários. Okumoto ressaltou que é fundamental ter uma ligação mais estreita com o Iges.

“Queremos soluções rápidas e resultados expressivos para que os casos emergenciais não fiquem parados”, enfatizou. “Por isso, a equipe da Secretaria está à disposição”. Ele frisou a importância de uma gestão bem articulada e alinhada entre a secretaria e o instituto, que administra também o Hospital Regional de Santa Maria (HRSM) e Unidades de Pronto Atendimentos (UPAs) do DF.

O chefe da pasta apresentou os subsecretários de Gestão de Pessoas (Silene Quitéria), Planejamento (Christiane Braga), Administração Geral (Sérgio Cordeiro), Infraestrutura (Mário Furtado), Logística (Artur Brito), Vigilância em Saúde (Divino Valero Martins) e Atenção Integral à Saúde (Alexandre Garcia Barbosa).

“Essa equipe está sendo convocada para resolver casos emergenciais, para que soluções importantes não fiquem paradas na burocracia. Nesse ano de 2021, precisamos entregar resultados expressivos”, disse ao lembrar que o ano de 2020 foi difícil, em razão da pandemia.

Termo de Cooperação

Okumoto revelou ainda que, em breve, deverá ser assinado um termo de cooperação com Organização Pan-Americana da Saúde (Opas) para melhorar diversas questões relacionadas aos avanços tecnológicos, o que contribuirá não só com a SES, mas também com o Iges.

“O Hospital de Base certamente vai ajudar a conduzir a saúde do DF para o rumo correto com o nosso apoio”, reforçou o secretário-adjunto Petrus Sanchez. “Estamos de portas abertas para procurar soluções. Sabemos que é nossa obrigação apoiar o Iges. Temos grande convicção de que teremos um grande alinhamento”.

Também participaram da reunião diversos gestores do instituto, entre eles, a diretora vice-presidente do Iges, Mariela Souza de Jesus e os diretores Emanuela Dourado Rebêlo Ferraz de (Inovação, Ensino e Pesquisa) e Jair Tabchoury Filho (Atenção à Saúde), que assumiu interinamente a superintendência do Hospital de Base.